Briga, riso e choro no Aberto da Austrália

Dia é marcado por confronto entre sérvios e bósnios, invasão de rapaz nu e desabafo de Safin

, O Estadao de S.Paulo

24 de janeiro de 2009 | 00h00

Briga entre sérvios e bósnios, invasão de um rapaz nu no meio do jogo das irmãs Williams e uma derrota humilhante que deve confirmar o fim da carreira do extraordinário Marat Safin em 2009. Quem foi ao Melbourne Park ontem viu de tudo e certamente vai se lembrar deste 23 de janeiro por muito tempo.A boa vitória do talentoso sérvio Novak Djokovic sobre o norte-americano de origem bósnia Amer Delic, em jogo emocionante, ficou ofuscada por uma disputa bem menos interessante - aliás, nada interessante - entre dezenas de torcedores sérvios e bósnios. A briga, que começou fora da Rod Laver Arena, a quadra central, terminou depois do triunfo de Djokovic com uma competição de arremessos de cadeiras entre os rivais. Por sorte, a pontaria dos vândalos não foi das melhores e a polícia agiu a tempo de evitar uma tragédia. Ainda assim, uma mulher acabou atingida e desmaiou, mas não sofreu ferimentos graves.A segurança já havia sido reforçada, pois havia o temor de um confronto. Há dois anos, no mesmo Aberto da Austrália, sérvios e croatas trocaram socos e pontapés. "Estou triste, era uma partida de tênis, não um lugar para isso (briga)", declarou Delic. Na véspera do jogo, o tenista havia publicado em seu site uma nota pela qual pedia paz e bom comportamento aos torcedores. "Não sei quem terminou ou começou a confusão, mas nos dois lados havia gente querendo briga."Outro incidente, bem inusitado e sem violência, ocorreu a alguns metros da Rod Laver Arena. Na quadra 3, enquanto Serena e Venus Williams venciam a dupla formada pela japonesa Ayumi Morita e a alemã Martina Müller, um homem nu entrou em ação. Ele invadiu o local de jogo, vestindo só uma regata, e teve tempo de arriscar alguns passos de dança para as norte-americanas. As irmãs Williams não se contiveram e deram gargalhadas. De acordo com a organização, o invasor ficou apenas 14 segundos dentro da quadra.Quem não teve motivos para rir, ontem, foi a musa número 1 do momento. Ana Ivanovic, em má fase e no quinto lugar do ranking mundial, caiu precocemente no Aberto da Austrália ao perder para a russa Alisa Kleybanova por 7/5, 6/7 (5/7) e 6/2. "Estou muito desapontada, porque achava que tinha condições de ir longe em Melbourne."Ainda mais decepcionado que a bela sérvia estava Marat Safin. Ex-número 1 do mundo, vencedor de Grand Slams e dono de US$ 14 milhões só em prêmios, o russo, que completará 29 anos na terça-feira, praticamente confirmou o que já vinha dizendo: vai se aposentar no fim da temporada. A derrota para Federer deve, assim, ter marcado sua despedida do torneio australiano. "Quero fazer outra coisa quando deixar o tênis, já estou há muito tempo nisso."Safin percebeu que ainda pode conquistar bons resultados, mas não grandes vitórias contra os melhores. Sua condição física está longe da ideal. Um pouco pelas exigências do esporte, um pouco por gostar das festas e dos bons restaurantes. O russo, que travou duelos incríveis com Guga Kuerten, não teve nenhuma chance contra o suíço e caiu por 6/3, 6/2 e 7/6. "Com todo o respeito a Agassi e Sampras, o Federer é o mais completo da história", declarou, triste, mas conformado. "Não dei chances a ele", festejou o vencedor.A rodada de ontem ainda teve como destaque a classificação do norte-americano Andy Roddick e da surpreendente croata naturalizada australiana Jelena Dokic.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.