Briggs diz que voltará ao boxe após cirurgia no braço

O pugilista norte-americano Shannon Briggs afirmou, nesta quarta-feira, que voltará a competir profissionalmente, após recuperar-se da cirurgia para reparar uma lesão no tendão do braço esquerdo. Ele está hospitalizado desde o último sábado em Hamburgo, na Alemanha, quando foi derrotado pelo ucraniano Vitali Klitschko em luta que valia o título mundial dos pesos pesados.

AE-AP, Agência Estado

20 de outubro de 2010 | 13h23

"Estou bem, estou ansioso para voltar. Me sinto ótimo", declarou o norte-americano, em sua primeira entrevista desde que foi hospitalizado - até então, tinha apenas distribuído um comunicado oficial. Além da contusão no braço, Briggs sofreu distúrbios neurológicos, por causa de uma lesão cerebral, e fraturas na face.

Aos 38 anos, Briggs preferiu não estipular uma data para o seu retorno aos ringues e afirmou que consultará seu empresário e sua esposa antes de definir sua agenda. De qualquer forma, ele terá que ficar seis semanas afastado dos treinos após a cirurgia.

Ele ainda confirmou que o seu rival no último sábado, Vitali Klitschko, e o irmão dele, Wladimir Klitschko, ambos campeões mundiais dos pesos pesados, o visitaram no hospital. "Eles são grandes lutadores e grandes campeões, que só fazem bem para o boxe", afirmou Briggs.

No último sábado, Shannon Briggs foi derrotado por pontos pelo ucraniano, que defendia o cinturão do Conselho Mundial de Boxe. Apesar de não ter sido nocauteado, o norte-americano foi prontamente hospitalizado depois do combate, devido à violência dos golpes que levou.

O episódio fez com que seu técnico, Herman Caicedo, e o juiz do combate fossem criticados por não terem interrompido a luta. No entanto, o lutador, que já havia absolvido seu treinador, reafirmou nesta quarta-feira que não queria desistir. "Não se pode desistir na frente de sua esposa", justificou Briggs.

Tudo o que sabemos sobre:
boxeShannon Briggs

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.