Britânico não para de arrumar encrencas

Depois de dar um tapa no rosto do campeão mundial e perder a luta, Dereck Chisora foi preso por agredir compatriota

MUNIQUE, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2012 | 03h03

O boxeador britânico Dereck Chisora não para de acumular incidentes. Na sexta-feira, deu um tapa no rosto do ucraniano Vitali Klitschko, durante a pesagem da luta em que, como desafiante, perdeu a chance de conquistar o cinturão do Conselho Mundial de Boxe, ao ser derrotado por pontos, após doze assaltos.

Ontem, o pugilista foi preso depois de brigar com o compatriota e ex-campeão mundial dos pesados David Haye, durante a entrevista coletiva realizada em Munique. Chisora foi libertado, após sete horas detido, e seguiu para Londres, mas poderá sofrer processo por lesão corporal.

Os empresários alemães, que gastaram milhões de euros na organização da luta de sábado entre Chisora e Klitschko, não aprovaram a postura dos dois lutadores britânicos e ameaçam não colocá-los mais em futuras programações.

Chisora se irritou durante a entrevista coletiva pós-luta, quando Haye disse que seu desempenho diante de Klitschko foi vergonhoso. Após uma série de ofensas, Chisora afirmou ao microfone que iria "matar Haye a tiros".

Em seguida, Chisora se dirigiu para a parte de trás do salão e foi recebido com um soco no queixo desferido por Haye, que segurava uma garrafa. A partir daí, uma briga generalizada reuniu também amigos dos lutadores. Adam Booth, treinador de Haye, recebeu uma garrafada na cabeça e levou alguns pontos.

Jornalistas ingleses presentes em Munique não descartam a possibilidade de um duelo entre Chisora e Haye para o segundo semestre em Londres.

Tour nos EUA. Bastante tranquilo e sem conseguir evitar o sorriso, Vitali Klitschko apenas acompanhou toda a confusão e aproveitou para anunciar que pretende voltar a lutar nos Estados Unidos. "Gostaria de poder me apresentar mais uma vez no Madison Square Garden, em Nova York, antes de pendurar as luvas", disse o campeão do CMB, de 40 anos. Ele lutou no "templodo boxe" em 2003, quando derrotou o canadense Kirk Johnson.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.