Britânicos vivem euforia com título de seu ciclista

Bradley Wiggins foi o primeiro atleta da Grã-Bretanha a ganhar a tradicional prova, que completou 99 anos

WILSON BALDINI JR. , ENVIADO ESPECIAL / LONDRES, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2012 | 03h06

Os britânicos estão eufóricos. A cinco dias do início dos Jogos Olímpicos, o entusiasmo da população aumentou ainda mais ontem quando Bradley Wiggins tornou-se o primeiro ciclista da Grã-Bretanha a sagrar-se campeão da Volta da França. A festa foi completa, pois o também britânico Mark Cavendish venceu a etapa e se tornou o maior vencedor com 23 vitórias, superando André Darrigade e Lance Armstrong.

O atleta foi recepcionado por milhares de torcedores e suas bandeiras da Grã-Bretanha em plena Avenida Champs Elysées, ontem, em Paris, ao final da 21.ª etapa da 99.ª edição da tradicional competição, após 120 quilômetros desde Rambouillet.

A chegada em Londres serviu apenas para ratificar o título de Wiggins, pois a conquista já havia sido garantida no sábado, após a disputa da penúltima etapa. "Foi maravilhoso, sensacional. Mark foi imbatível mais uma vez na reta final", disse Wiggins. "Pra mim foi um momento inesquecível. Incrível", afirmou Cavendish, segurando no colo Delilah Grace.

O feito de Wiggins foi amplamente divulgado pela imprensa britânica. Os canais de TV concentraram suas atenções na vitória do britânico. O primeiro-ministro David Cameron era um dos mais animados. "Este é um prenúncio de que o desempenho da Grã-Bretanha será um sucesso na Olimpíada. Todos estão muito felizes e isso vai contagiar nosso atletas. Foi um feito brilhante", disse, esquecendo-se que o piloto britânico Lewis Hamilton foi o único a abandonar o GP da Alemanha de Fórmula 1.

Em alguns partes de Londres a vitória de Wiggins foi festejada como uma vitória da seleção inglesa de futebol. Muitas pessoas agitaram bandeiras da Grã-Bretanha nas janelas de seus apartamentos e casas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.