Bronca geral no Palmeiras

Luxemburgo cobra jogadores e diretoria pune Denilson e Kleber

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

23 de julho de 2008 | 00h00

A terça-feira alviverde foi marcada por broncas. Uma ?chamada? no elenco, que se reapresentou após o fraco futebol apresentado na derrota para o Goiás, por 3 a 2, no domingo, e principalmente uma dura em Kléber e Denilson, expulsos no Serra Dourada. Como prometido, a diretoria puniu os dois indisciplinados. Foram multados, mas a diretoria não revelou o tamanho da ?mordida? nos bolsos dos encrenqueiros."Tomamos as medidas que achamos adequadas", disse Toninho Cecílio, gerente de futebol "Agimos de maneira firme nesse episódio e podemos agir assim de novo em outros."Kléber foi expulso pela terceira vez na competição após agredir um adversário sem bola. Já Denilson levou o vermelho por ter xingado o árbitro Alício Pena Júnior após o final de jogo. "Eu não o chamei de safado", defende-se o atleta. O Palmeiras espera agora que o fato não se repita. "Queremos que os deslizes terminem", disse Toninho.Denilson e Kléber conversaram com o cartola por quase uma hora depois do treinamento de ontem. Antes, porém, a bronca foi de Vanderlei Luxemburgo. Para todo o grupo."Foi em um tom forte, um tom de cobrança", contou o atacante Lenny, que deve ter nova chance de ser titular amanhã, contra o Santos, no Palestra Itália. "Essa bronca tem de acontecer mesmo, para que a gente melhore."Os jogadores entenderam a bronca. E já se acostumaram aos pitos - após o empate com a Portuguesa, no dia 25 de maio, e depois da derrota para o Sport, dia 8 de junho, Luxemburgo cobrou bastante o elenco."A cobrança é natural quando as vitórias não chegam", explicou Alex Mineiro. "Erramos muito e perdemos para uma equipe que não vai brigar pelo título. Esperamos um comportamento totalmente diferente agora", disse o atacante.Os atletas acreditam que falta apenas uma boa seqüência de jogos para que o time consiga ganhar confiança. E eles esperam que as vitórias recomecem já contra o Santos - em seguida, os confrontos são com o Grêmio, fora, e o Flamengo, em casa. "No momento em que a gente subir vamos engrenar", torce Lenny. "Nosso objetivo é ganhar os próximos três jogos e subir, como o São Paulo fez", comparou o atacante. "Vemos o exemplo deles, que estavam lá embaixo na tabela."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.