Reuters/Kai Pfaffenbach
Reuters/Kai Pfaffenbach

Bronze em Pequim-2008, russa Tatyana Chernova perde medalha por doping

Atleta foi pega pela substância turinabol, identificada na amostra de urina

O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2017 | 14h06

O Comitê Olímpico Internacional (COI) informou nesta segunda-feira que a atleta russa Tatyana Chernova perdeu a medalha de bronze que tinha conquistado na prova de heptatlo nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Segundo o COI, a atleta utilizou uma substância proibida chamada turinabol, identificada na reanálise das amostras de urina de Chernova.

Com este, já são 41 casos de medalhas perdidas nos Jogos de Pequim por uso de substâncias proibidas identificados em reanálises. A maior parte deles envolve provas do atletismo e de levantamento de peso.

Essa não é a primeira vez que Chernova é flagrada em exames antidoping e sofre punição. Por ser reprovada em outros testes que apontaram uso de substâncias proibidas, a russa já perdeu o título mundial de 2011, um bronze do Mundial Indoor de 2009 e o título da Universíade de 2013.

Com a punição a Chernova, o pódio da prova do heptatlo feminino da Olimpíada de Pequim sofreu mais uma alteração. Isso porque, além da atleta russa, a ucraniana Lyudmil Blonska, prata naquela ocasião, também já tinha perdido sua medalha por doping.

A britânica Kelly Sotherton, que terminou a disputa do heptatlo em quinto lugar, deve agora receber a medalha de bronze. Ela já tinha sido beneficiada na prova de revezamento 4x400m, na qual herdou, junto com equipe, a medalha de bronze depois que Rússia e do Belarus perderam suas medalhas por doping.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.