Bronze não muda planejamento e Zanon promete time jovem no Pré-Olímpico

Apesar das três derrotas em cinco partidas dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, o técnico da seleção feminina de basquete, Luiz Zanon, afirmou nesta segunda-feira que não pretende mudar o planejamento que fez para o Pré-Olímpico, competição que será disputada no próximo mês, também no Canadá.

MARCIO DOLZAN, Estadão Conteúdo

20 de julho de 2015 | 20h25

Por ser país-sede da Olimpíada, o Brasil inicialmente tem vaga garantida nos Jogos do Rio-2016 tanto no masculino quanto no feminino, mas devido a uma dívida da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) com a Federação Internacional (Fiba), o País corre o risco de ter que conquistar a vaga em quadra.

Pelo planejamento de Zanon, mesmo se estivesse garantida na Olimpíada a seleção feminina disputaria o Pré-Olímpico. A competição seria usada para "dar experiência" à equipe. Mas ele pretende manter essa postura mesmo se tiver que conquistar a vaga em quadra.

"Eu mantenho a mesma posição. É uma parte administrativa e não cabe (a mim opinar). Vou com o mesmo projeto, com a mesma coisa. Vou fazer uma nova convocação para o Pré-Olímpico e pode ter muitas surpresas, com gente muito mais nova. E é isso que eu penso do basquete", disse Zanon, logo após a disputa do bronze em Toronto.

"Se eu vou lá pra vaga ou não é outra história. Eu iria (para ganhar) se tivesse todas as condições do mundo. Hoje, sem as quatro da WNBA, a nossa realidade é esta. Não interfere a vaga. Interfere a continuidade do trabalho."

Zanon assegurou que a nova convocação trará uma equipe "bem mais" nova que a que disputou o Pan. "Eu vejo uma evolução das meninas muito grande. As novas têm personalidade e não vamos deixar um hiato que havia de geração de 23 para 33. Nós vamos reformular e trazer jogadoras novas. É isso que a gente está trabalhando", afirmou o técnico.

"Se tiver vaga ou não, é o mesmo grupo e mesma filosofia de trabalho, tentando dar condições a jogadoras que elas não têm no clube", disse. Ele garantiu que não irá convocar as atletas que disputam a liga profissional americana para não prejudicá-las em seus clubes. "Jamais a minha pessoa permitiria isso", assegurou.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosbasquete

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.