Bruno César tenta ofuscar ''rival'' Douglas

A saída de Douglas foi muito lamentada no meio de 2009. O Corinthians não tinha substituto. No começo da temporada, chegaram Danilo e Tcheco para acabar com a carência de um camisa 10. Não se firmaram. Hoje, Douglas, com as cores do Grêmio, retorna ao Pacaembu fazendo juras de amor ao clube paulista, falando em "voltar no futuro", mas com a missão de ajudar os gaúchos a seguirem na luta contra as últimas posições. Ainda buscando se firmar no Alvinegro, Bruno César quer ofuscar o adversário e mostrar que a 10 tem dono.

, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2010 | 00h00

Artilheiro da equipe na temporada (10 gols) e do Brasileiro ao lado de Elias, do Atlético-GO, Bruno César sabe que precisa "matar um leão por dia" para não ser questionado. Quarta-feira, foi até substituído em Curitiba. Agora, espera repetir o bom futebol da goleada por 5 a 1 sobre o Goiás para seguir sonhando até com a seleção.

"O Bruno César tem correspondido, ajudado bastante. Claro, jogando bem, os adversários procuram neutralizá-lo, mas espero boa atuação dele", afirmou Adilson Batista, confiante em seu armador. "Também recebo críticas. Não fui muito bem contra o Cruzeiro e o Vitória, mas todos têm direito a isso. Graças a Deus estou voltando a jogar bem", disse, confiante em bela apresentação no Pacaembu, onde vem desequilibrando. No palco do jogo, o meia brilhou contra Santos, Guarani, Atlético-MG e Goiás. Além de participação importante nos clássicos diante de Palmeiras e São Paulo.

"Não sou de marcar gols e nem penso em artilharia, deixo isso para os atacantes. Porém, se pintar a oportunidade, continuarei tentando", observou o jogador, que não tem medo de arriscar as finalizações. "Mas, com o Ronaldo em campo, prefiro ser o seu garçom." O meia, contudo, é um dos pendurados com dois cartões amarelos, ao lado de Jucilei, William, Danilo, Paulinho, Castán e Dentinho. Preocupação extra para o duelo decisivo de quarta-feira contra o Fluminense, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.