Alexander Nemenov/AFP
Alexander Nemenov/AFP

Bruno Fratus avança à semifinal dos 50m livre em Kazan com 5º tempo

Nadador vira principal aposta do País na prova de velocidade 

Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2015 | 08h58

Cesar Cielo foi cortado do Mundial de Natação por lesão, mas o Brasil estará representado na semifinal dos 50m livre. As eliminatórias da prova foram realizadas nesta manhã, em Kazan, e Bruno Fratus cumpriu a expectativa para se classificar à próxima etapa, com o quinto tempo.

Fratus, agora o quarto do ranking mundial, não chegou a quebrar a barreira dos 22 segundos, mas fez o suficiente para ganhar uma raia central na semifinal, com 22s01. Ficou atrás do favorito Manaudou (21s71), da França), do americano Nathan Adrian (21s73), do grego Gkolomeev (21s87) e do russo Morozov (21s97).

"Pela manhã é mais entrar na semifinal do que nadar rápido mesmo. Está legal, entrei na semi. É como dizem: ''Se você tem uma raia tem uma chance''. Foi uma boa prova para a manhã. Agora qualquer colocação entre o 10.º e o 16.º é praticamente a mesma coisa. Tempo e colocação que importa mesmo é amanhã à noite (na final)", comentou Fratus.

O Brasil também avançou à semifinal com Daynara de Paula, que fez o 16.º tempo das eliminatórias (26s49) dos 50m borboleta, o suficiente para pegar a última vaga na semifinal que, assim como dos 50m livre masculino, será à noite em Kazan (a partir das 11h30 de Brasília).

"Vou dar a vida para pegar a final. Respirei acho que umas quatro vezes e o P.C (Paulo Cesar Marinho, biomecânico da seleção) vai brigar comigo muito. Como eu treino para os 100m (borboleta) eu tenho que respirar, mas se eu não parar tanto acho que já dá pra melhorar bastante", disse a brasileira.

Nos 100m borboleta, mais fraca entre as provas de velocidade do País no masculino, Arthur Mendes Filho fez 52s53 e ficou apenas na 24.ª colocação, fora da semifinal e a 0s22 do seu melhor tempo na temporada.

Thiago Pereira também estava inscrito, mas não nadou os 100m borboleta porque preferiu poupar energia para o revezamento 4x200m livre. A equipe decepcionou e, com o 15.º tempo, não conseguiu se classificar para a Olimpíada. Deve, entretanto, ficar com uma das quatro vagas restantes graças ao bom tempo que fez no Pan.

FEMININO

Joanna Maranhão nadou os 200m costas, prova que não é sua especialidade, e ficou feliz com o 21.º lugar, com 2min12s26, apenas 0s21 do que fez no Pan. "Eu sabia que para entrar (na final) eu ia ter que fazer o melhor tempo da minha vida e realmente é uma prova em que eu tenho que melhorar muita coisa. Fico feliz de continuar sendo a melhor atleta da América do Sul. Na final dos 400m medley do Pan a única frequência que eu não fiz como eu queria foi no costas, por isso eu quis nadar ela aqui porque seria um treino de luxo. São alguns detalhes que precisam melhorar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.