Tyrone Siu|Reuters
Tyrone Siu|Reuters

Bruno Soares exalta 'sensação indescritível' e já mira ouro olímpico

'É mais um grande feito para o Brasil', celebra o mineiro

Estadão Conteúdo

30 Janeiro 2016 | 17h09

Bruno Soares fez história para o tênis do Brasil ao conquistar neste sábado, ao lado do britânico Jamie Murray, o título da chave de duplas masculinas do Aberto da Austrália. Após o feito, o mineiro não escondeu a alegria em Melbourne, palco do primeiro Grand Slam desta temporada.

"A sensação de ganhar o meu primeiro Grand Slam de duplas é indescritível. Esse tipo de torneio começa pra gente, desde pequeno, como um sonho. Aos poucos vai se tornando realidade, depois passa a virar um objetivo, e agora passa a ser um título. Realmente é muito especial. A gente trabalha para isso e se sacrifica para esse momento. Uma vitória como essa faz tudo valer a pena", afirmou o brasileiro, emocionado, após a vitória sobre o checo Radek Stepanek e o canadense Daniel Nestor por 2 sets a 1, com parciais de 2/6, 6/4 e 7/5, na decisão.

Bruno Soares também confessou que foi surpreendente ter conseguido conquistar o Aberto da Austrália, pois a dupla com o escocês Murray foi formada recentemente, mas ele enfatizou que a parceria tinha confiança de que poderia ir longe em Melbourne. "Não é uma surpresa que a gente tenha se dado bem em quadra tão rápido. Quando resolvemos jogar juntos, quando o Jamie me convidou, a gente já imaginou que poderia ser uma dupla muito boa. Mas, até aí dizer que ganharíamos o primeiro Grand Slam, o Australian Open, não dava para imaginar. Nós dois fizemos uma pré-temporada muito boa, ficamos em contato e fizemos muitos jogos, apesar de terem sido só dois torneios, antes de chegar aqui", ressaltou o brasileiro.

Campeão de um Grand Slam anteriormente por duas vezes nas duplas mistas, Soares também exaltou o peso que o triunfo teve para o tênis do País, que já conta com Marcelo Melo como líder do ranking mundial de duplistas da ATP. "É mais um grande feito para o Brasil. Mais um título de Grand Slam, depois de tudo que a gente vem fazendo pelo tênis brasileiro. É mais uma coisa para entrar para a história. Hoje o Brasil tem dois campeões de Grand Slam, nos últimos sete, oito meses. É muito especial para o nosso tênis", enfatizou.

Apenas Maria Esther Bueno, Gustavo Kuerten, Thomaz Koch, Marcelo Melo e Soares conquistaram títulos de Grand Slam para o tênis do Brasil na história. E a nova conquista faz ele ficar ainda mais otimista com a possibilidade de ganhar o ouro olímpico nos Jogos do Rio-2016. "Dá sim para sonhar com o ouro. Sonhamos com essa medalha desde Londres, em 2012. A gente sabe o nível de tênis que estamos jogando e sabe que joga bem junto e em casa. Com certeza vamos em busca do ouro", disse ao projetar o topo do pódio no Rio, onde atuará ao lado de Melo na chave de duplas masculinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.