Tyrone Siu|Reuters
Tyrone Siu|Reuters

Bruno Soares exalta 'sensação indescritível' e já mira ouro olímpico

'É mais um grande feito para o Brasil', celebra o mineiro

Estadão Conteúdo

30 de janeiro de 2016 | 17h09

Bruno Soares fez história para o tênis do Brasil ao conquistar neste sábado, ao lado do britânico Jamie Murray, o título da chave de duplas masculinas do Aberto da Austrália. Após o feito, o mineiro não escondeu a alegria em Melbourne, palco do primeiro Grand Slam desta temporada.

"A sensação de ganhar o meu primeiro Grand Slam de duplas é indescritível. Esse tipo de torneio começa pra gente, desde pequeno, como um sonho. Aos poucos vai se tornando realidade, depois passa a virar um objetivo, e agora passa a ser um título. Realmente é muito especial. A gente trabalha para isso e se sacrifica para esse momento. Uma vitória como essa faz tudo valer a pena", afirmou o brasileiro, emocionado, após a vitória sobre o checo Radek Stepanek e o canadense Daniel Nestor por 2 sets a 1, com parciais de 2/6, 6/4 e 7/5, na decisão.

Bruno Soares também confessou que foi surpreendente ter conseguido conquistar o Aberto da Austrália, pois a dupla com o escocês Murray foi formada recentemente, mas ele enfatizou que a parceria tinha confiança de que poderia ir longe em Melbourne. "Não é uma surpresa que a gente tenha se dado bem em quadra tão rápido. Quando resolvemos jogar juntos, quando o Jamie me convidou, a gente já imaginou que poderia ser uma dupla muito boa. Mas, até aí dizer que ganharíamos o primeiro Grand Slam, o Australian Open, não dava para imaginar. Nós dois fizemos uma pré-temporada muito boa, ficamos em contato e fizemos muitos jogos, apesar de terem sido só dois torneios, antes de chegar aqui", ressaltou o brasileiro.

Campeão de um Grand Slam anteriormente por duas vezes nas duplas mistas, Soares também exaltou o peso que o triunfo teve para o tênis do País, que já conta com Marcelo Melo como líder do ranking mundial de duplistas da ATP. "É mais um grande feito para o Brasil. Mais um título de Grand Slam, depois de tudo que a gente vem fazendo pelo tênis brasileiro. É mais uma coisa para entrar para a história. Hoje o Brasil tem dois campeões de Grand Slam, nos últimos sete, oito meses. É muito especial para o nosso tênis", enfatizou.

Apenas Maria Esther Bueno, Gustavo Kuerten, Thomaz Koch, Marcelo Melo e Soares conquistaram títulos de Grand Slam para o tênis do Brasil na história. E a nova conquista faz ele ficar ainda mais otimista com a possibilidade de ganhar o ouro olímpico nos Jogos do Rio-2016. "Dá sim para sonhar com o ouro. Sonhamos com essa medalha desde Londres, em 2012. A gente sabe o nível de tênis que estamos jogando e sabe que joga bem junto e em casa. Com certeza vamos em busca do ouro", disse ao projetar o topo do pódio no Rio, onde atuará ao lado de Melo na chave de duplas masculinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.