''Búfalo'' Pacquiao queria briga, mas Mosley se esquivou

Filipino vence por pontos, mantém cinturão e elogia o americano, que evitou duelo corpo a corpo para 'sobreviver' aos 12 rounds

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2011 | 00h00

Quando um não quer, dois não brigam. Foi a tática que Shane Mosley usou diante de Manny Pacquiao, na madrugada de ontem, no ringue do MGM Hotel, em Las Vegas. Desta forma, o norte-americano "sobreviveu" aos 12 rounds, terminou "apenas" com três grandes inchaços no rosto e perdeu por pontos para o filipino, que manteve o cinturão dos meio-médios, (até 66,678 quilos) versão Organização Mundial de Boxe. Os três jurados apontaram larga vantagem: 120-107, 120-108 e 119-107.

Foi o 14.º triunfo consecutivo de Pacquiao, que ratifica a condição de melhor lutador da atualidade. Fica a expectativa do duelo Pacquiao x Floyd Mayweather em novembro (leia ao lado).

O domínio foi todo de Pacquiao, que levou Mosley ao seu primeiro knockdown em 18 anos de carreira. Foi no terceiro assalto, graças a um rápido e fortíssimo direto de esquerda. "Foi um sentimento estranho", disse o americano, que evitou a luta no corpo a corpo e surpreendeu o campeão. "Eu me preparei para uma luta mais aberta", afirmou Pacman. "Mas precisei correr atrás dele o tempo todo."

Nos contra-ataques, Mosley obteve sucesso algumas vezes com o calibrado e forte direto de direita. "Erraram aqueles que disseram que Mosley é lento. Tem braços e pernas muito rápidos. Precisei me preocupar com os contragolpes. Disseram que ele estava acabado, mas acho que ainda lhe restam várias lutas para fazer", afirmou Pacquiao.

No décimo assalto, o juiz Kenny Bayless assinalou erroneamente um knockdown a favor de Mosley, que visivelmente empurrou Pacquiao. Irritado, o campeão foi para o ataque e levou os 16.412 espectadores (todos os ingressos foram vendidos) ao delírio. O público já iniciara uma pequena vaia com a insistência de Mosley em evitar o combate mais franco. "Foi um duelo de técnicas e táticas", disse o americano, de 39 anos. Pacquiao revelou problemas. "Minhas pernas ficaram presas na segunda parte da luta. Preciso fazer um treinamento específico para a próxima luta."

Teddy Atlas, comentarista da ESPN, observou: "Pacquiao luta como um búfalo. Você não pode querer encarar um búfalo. Foi o que Mosley fez. Acho que Pacquiao deve uma aula para Mosley. Acho que o filipino sai do ringue melhor do que entrou", afirmou o analista e técnico.

Pacquiao soma 53 vitórias (38 nocautes), 3 derrotas e 2 empates. Mosley perdeu pela 7.ª vez. Ele tem 46 vitórias (39 nocautes) e um empate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.