Button ganha um rival: Vettel

Piloto alemão vence em Silverstone e já sonha em ameaçar o líder

Livio Oricchio, SILVERSTONE, O Estadao de S.Paulo

22 de junho de 2009 | 00h00

Finalmente alguém pôs fim à série de quatro vitórias seguidas, todas merecidas, de Jenson Button, da Brawn GP. Ontem, no circuito inglês de Silverstone, Sebastian Vettel, alemão talentosíssimo, de 21 anos, da Red Bull, assumiu o papel que vinha pertencendo ao piloto inglês, tal a autoridade com que venceu o GP da Grã-Bretanha, 8º do ano. E bem no dia em que Rubens Barrichello conseguiu ser mais eficiente que Button, outra equipe se mostrou melhor que a Brawn, deixando-o em terceiro. O companheiro de Vettel na Red Bull, o australiano Mark Webber, foi o segundo. Mais imagens do GP na Inglaterra Bastidores no blog de Livio OricchioConforme os treinos livres e a definição do grid indicavam, Vettel e Webber não teriam adversários nas 60 voltas. A Fórmula 1, este ano, tem essa característica: em algumas pistas a Brawn voa e em outras é a vez da Red Bull. E as diferenças impostas não sugerem ser possível já na etapa seguinte ser revertida. Mas acontece. "Nosso carro esteve perfeito hoje", disse Vettel. "A cada volta via minha vantagem crescer em um segundo; nossa equipe, que fica do outro lado da rua, trabalhou muito para isso." A sede da Red Bull é em Milton Keynes, próxima ao autódromo."Mas o traçado nos favorecia, com curvas de alta e média velocidade; a nova versão do carro representa um avanço em todas as áreas, o que permitiu tirarmos o máximo dos pneus", explicou o alemão, para responder se na segunda metade do campeonato, agora, a Red Bull vai assumir o papel exercido pela Brawn GP até a prova de Istambul. "Cada corrida está tendo sua história este ano, difícil projetar o que ocorrerá no GP de casa; o que dá para dizer é que crescemos muito." Vettel recebeu a bandeirada 41 segundos na frente do primeiro adversário da Red Bull, Rubinho. O próximo será na Alemanha, em Nurburgring, dia 12. Foi a terceira vitória do alemão na F-1, a primeira no seco, e a segunda dobradinha da Red Bull (a outra foi na China, este ano). "O importante é que reduzimos a diferença para o Button", lembrou o alemão.O líder do Mundial, com o sexto lugar, somou 3 pontos diante de 10 de Vettel, 8 de Rubinho e 6 de Webber. Mas a vantagem de Button ainda é tão grande que nem foi sentida. Soma 64 pontos, Rubinho, 41, agora ameaçado por Vettel, 39, e Webber, 35,5. Button definiu como "frustrante" sua participação no GP de casa. Havia vencido seis das sete etapas realizadas. E Vettel alertou: "O fim da temporada está longe, não há nada definido".Já Webber comentou não ter lutado pela vitória por ter perdido a segunda colocação no grid, sábado. "Fiquei em terceiro, atrás de Barrichello, até o primeiro pit stop (20ª volta); sabia que só nessa hora poderia ultrapassá-lo, mas Vettel já se encontrava muito à frente (22 segundos e 86 milésimos)", explicou.Se lá na frente a Red Bull passeou na pista, mais para trás o GP da Grã-Bretanha teve pegas sensacionais, além de desempenhos extraordinários, como o de Felipe Massa, da Ferrari, quarto depois de largar em 11.º.Ontem pode ter sido a última vez que a F-1 se apresentou em Silverstone - onde a competição começou sua história no dia 13 de maio de 1950 - com público de 125 mil espectadores. No total do fim de semana, 310 mil. O GP da Grã-Bretanha deverá ir para Donington, em 2010, se a Fórmula 1 continuar a existir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.