AP
AP

Cahill quer que Austrália evite fiasco igual ao da Copa de 2010

Aos 34 anos, volante quer fazer bonito em sua última Copa do Mundo

Agência Estado

11 de maio de 2014 | 19h05

NOVA YORK - O australiano Tim Cahill promete dar o máximo na Copa do Mundo que começa no mês que vem, no Brasil. Considerado um dos últimos da "geração de ouro" da seleção da Austrália, ao lado de Harry Kewell, Mark Schwarzer e Mark Viduka, o meia quer evitar o fiasco de 2010 neste que será seu último Mundial - já tem 34 anos.

Na Copa da África do Sul, há quatro anos, ele foi expulso logo no primeiro jogo, quando a Austrália perdeu de 4 a 0 para a Alemanha. Assim, Cahill não entrou em campo no empate em 1 a 1 com Gana e seu retorno na vitória por 2 a 1 sobre a Sérvia não evitou que a seleção australiana fosse eliminada da competição ainda na primeira fase.

Jogando atualmente no norte-americano New York Red Bulls, Cahill é ex-jogador do britânico Everton. Foi na Inglaterra que ele fez seu maior sucesso. Sua primeira equipe lá foi o Millwall, no qual estreou na Copa da Inglaterra de 2004.

Em Copa do Mundo, o jogador apareceu em campo pela primeira vez vestindo a camisa da Austrália em 2006, na Alemanha. Na ocasião, ele teve papel decisivo na vitória por 3 a 1 sobre o Japão, que garantiu um lugar à sua seleção nas oitavas de final, quando foi eliminada pela Itália.

No Mundial realizado no Brasil, a Austrália está em uma chave considerada difícil. Além do Chile, o Grupo B conta ainda com a campeã e a vice-campeã de 2010, respectivamente Espanha e Holanda. O primeiro jogo da Austrália será no dia 13 contra o Chile, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Depois pega a Holanda no dia 18 no Beira-Rio, em Porto Alegre, e fecha a primeira fase no dia 23 contra a Espanha, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.