Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Caio Costa quer mostrar sua evolução em torneio na praia de Maresias

Garoto de apenas 14 anos vai disputar o Red Nose São Sebastião Pro entre esta quarta e o domingo

Paulo Favero, enviado especial / Maresias, O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2018 | 05h00

O garoto Caio Costa, de apenas 14 anos, poderá mostrar o quanto melhorou no surfe no quintal de sua casa. Ele é um dos atletas mais novos inscritos no Red Nose São Sebastião Pro, que começa nesta quarta-feira e vai até domingo na praia de Maresias, em São Sebastião. “Meu objetivo é passar algumas baterias e mostrar a evolução do meu surfe”, disse.

Obviamente ele não é cotado para o título, até porque vai para sua segunda competição na Divisão de Acesso, mas tem no currículo neste ano os títulos do Campeonato Paulista e do Rip Curl Grom Search. Além disso, conta com a torcida de Gabriel Medina, que tem ele como xodó. Caio treina no IGM, instituto criado pelo campeão mundial de surfe.

“Eu comecei a surfar com sete anos aqui em Maresias por influência do meu pai, Paulo Cesar. Gostei e agora estou no IGM. Acho que evoluí bastante, principalmente nas ondas grandes, por causa das aulas de apneia que temos aqui. Isso ajuda a dar coragem”, explicou Caio, que sabe que não pode abrir mão dos estudos. “Se quiser ter futuro, tem de conciliar.”

Ele terá a torcida do seu pai e dos amigos em uma onda que conhece bem, pois costuma surfar lá todos final de semana. Só que o evento, além de ter atletas da próxima geração do surfe nacional, terá também grandes estrelas, como Italo Ferreira, quarto lugar no ranking mundial deste ano e vencedor de três etapas na elite em 2018, entre elas a última, em Portugal.

A premiação do evento é de US$ 75 mil (R$ 276,7 mil) no total e o campeão leva três mil pontos para o ranking da Divisão de Acesso. Serão 112 surfistas de 13 países e, além de Italo, o Brasil terá outros fortes representantes, como Michael Rodrigues, Yago Dora, Ian Gouveia, Jessé Mendes, Miguel Pupo, Deivid Silva e Jadson André.

A pontuação é importante porque esta é uma das últimas etapas do ano para conseguir pontos para disputar o Circuito Mundial de Surfe em 2019. Depois do evento em Maresias restarão mais duas etapas no calendário, ambas valendo dez mil pontos ao campeão: em Haleiwa e em Sunset Beach, ambas no Havaí.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.