Caixa Econômica desmente o pai de Jade

A polêmica entre o pai da ginasta Jade Barbosa, César Barbosa, a Confederação Brasileira de Ginástica e a Caixa Econômica Federal continua. Ontem, o banco negou ter oferecido pouco dinheiro à ginasta. Segundo informações da assessoria da Caixa, foram feitas duas propostas ao pai de Jade: uma para a atleta integrar o time de "alta performance", em um valor muito superior aos R$ 350,00 anunciados por César, e outra para peças publicitárias, de acordo com o desempenho da atleta no ano passado. A Caixa alega que o pai da ginasta teria recusado sua inclusão no time e feito uma contraproposta para o contrato publicitário, cujo valor seria superior ao que é pago a Diego Hypólito. Nos bastidores publicitários, as informações são de que a proposta da Caixa era de R$ 18 mil e que César também teria recusado R$ 15 mil para usar a imagem de Jade em uma boneca e outros R$ 7 mil de uma empresa de cartões.César Barbosa desmentiu os dados da Caixa. "Nunca falei em valor. Aliás, não entendo por que o banco não entra em contato comigo", rebateu. De acordo com ele, "a Caixa tinha de cancelar todos os contratos e pedir desculpas aos ginastas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.