Divulgação
Divulgação

Caixa financia R$ 1,397 bilhão para Parque Olímpico do Rio

Construção na Barra abriga três arenas de competição

Estadão Conteúdo

02 de junho de 2015 | 17h45

A Concessionária Rio Mais, formada pelas construtoras Norberto Odebrecht, Andrade Gutierrez e Carvalho Hosken, anunciou nesta terça-feira que firmou, com a Caixa Econômica Federal, um contrato de financiamento de parte das obras do Parque Olímpico do Rio, na Barra, zona Sul do Rio.

De acordo com a Rio Mais, a Caixa vai liberar R$ 1,397 bilhão, por meio do Programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) com prazo para pagamento de 20 anos. O valor, entretanto, cobre apenas 70% do custo previsto pela Rio Mais para cumprir a sua parte de Parceria Público Privada (PPP) com a prefeitura do Rio.

"Este é um marco importante para a nossa obra. Desde o começo, estávamos atuando com os recursos próprios dos acionistas, que garantiram o perfeito andamento da obra até aqui. Agora, nosso foco é a reta final dos trabalhos que seguem dentro do cronograma", comemorou o diretor-presidente da Rio Mais, Fernando Pacheco.

Quando foi feita a licitação da obra, a Rio Mais venceu com uma proposta de R$ 1,375 bilhão, para construção e manutenção (por 15 anos) da infraestrutura do Parque e de parte das instalações esportivas.

O consórcio é responsável pela construção de três pavilhões, as chamadas "Arenas Cariocas" 1 (basquete), 2 (judô, luta livre e luta greco-romana) e 3 (esgrima e tae kwon do). Pela PPP, a Rio Mais também está levantando o IBC (Centro Internacional de Transmissão) e realizando as obras da infraestrutura subterrânea do Parque Olímpico.

De acordo com o Comitê Rio-2016, a Arena Carioca 3 é a primeira instalação do Parque Olímpico a receber assentos. Até o fim de junho, todos as 10 mil cadeiras da arena estarão instaladas, nas cores azul e verde. O local está com a cobertura metálica pronta e passa pela fase de instalação dos pilares de madeira da fachada.

Ainda segundo o Rio-2016, as Arenas Cariocas 1 e 2 também vão receber as novas cadeiras a partir das próximas semanas. Depois dos Jogos, as Arenas Cariocas farão parte do Centro Olímpico de Treinamento. A construção das demais arenas é financiada pela União e executada pela prefeitura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.