Christophe Ena/AP
Christophe Ena/AP

Caixa vira patrocinadora do ciclismo brasileiro

Banco investirá R$ 17 milhões nas modalidades BMX, mountain bike, estrada e pista

AE, Agência Estado

25 de outubro de 2013 | 20h57

SÃO PAULO - A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) vai receber o apoio da Caixa Econômica Federal, que investirá R$ 17 milhões nas modalidades BMX, mountain bike, estrada e pista até 2016, ano dos Jogos Olímpicos do Rio. O banco, que já patrocina atletismo, ginástica, clubes de futebol e o Comitê Paralímpico Brasileiro, também vai dar suporte a eventos do calendário nacional do ciclismo. "Este patrocínio irá auxiliar no fortalecimento das quatro disciplinas olímpicas, contempladas pela Confederação, que proporcionam ao Brasil a chance de competir diretamente por 54 medalhas olímpicas. Agradeço a parceria da Caixa. Estaremos trabalhando juntos para que o valor seja bem representado pela equipe brasileira de ciclismo", afirmou o presidente da CBC, José Luiz Vasconcellos.

O ciclismo é um esporte de grande visibilidade e interesse, que alcança muita popularidade no exterior. Mas os resultados brasileiros são incrivelmente fracos. O Brasil nunca conquistou uma medalha sequer na história de sua participação na modalidade na Olimpíada. Nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em 2011, por exemplo, não conseguiu subir ao pódio em nenhum evento do ciclismo. Como a estrutura do ciclismo brasileiro ainda é precária, o melhor caminho para os atletas que querem se destacar na modalidade é participar das disputas na Europa. Atualmente, o Brasil tem dois representantes no circuito profissional europeu: Rafael Andriato, que compete pela equipe italiana Vini Fantini, e Murilo Fischer, que pedala pela Française de Jeux, da França.

Tudo o que sabemos sobre:
ciclismoCaixa Econômica Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.