Ferencz Isza/AFP
Ferencz Isza/AFP

Calderano perde de chinês campeão olímpico e cai nas oitavas do Mundial de Tênis de Mesa

Apesar da derrota por 4 sets a 1 para Ma Long, esta foi a melhor participação da história do Brasil na competição

Redação, Estadao Conteudo

25 de abril de 2019 | 09h58

A melhor campanha de um brasileiro na história do Mundial de Tênis de Mesa chegou ao final nesta quinta-feira. Diante do chinês Ma Long, campeão olímpico e bicampeão mundial, pelas oitavas de final da competição disputada em Budapeste, na Hungria, Hugo Calderano foi derrotado de virada por 4 sets a 1 - com parciais de 8/11, 11/8, 11/1, 11/3 e 11/8.

Muito prejudicado pelo sorteio do Mundial - apesar das credenciais, Ma Long joga poucos Abertos e não ocupa as primeiras colocações do ranking mundial -, Calderano quer continuar se preparando para sonhar ainda mais alto. Ele parou nas oitavas de final assim como Ubiraci Rodrigues da Costa, o Biriba, no Mundial de Pequim, na China, em 1961, e Cláudio Kano, em Nova Délhi, na Índia, em 1987.

"O sorteio faz parte da competição. Infelizmente joguei com o Ma Long. Mas foi uma experiência muito boa. Vou continuar treinando para ganhar dele e dos outros atletas da China no futuro. Não posso dizer que fico satisfeito, pois sempre quero ir além. Eu sei que tenho a capacidade de enfrentar os melhores, só é muito difícil manter a regularidade e a consistência", analisou o brasileiro.

Na partida desta quinta-feira, Calderano começou em um nível realmente muito alto. Fez um jogo equilibrado até a igualdade em 7 a 7, quando a torcida em Budapeste começou a empurrar o brasileiro aos gritos de "Hugo, Hugo, Hugo". Ele respondeu com brilhantismo e fechou a primeira parcial em 11 a 8.

Ma Long acordou no segundo set, mas Calderano mantinha o equilíbrio. Desta vez, o chinês foi melhor nos momentos decisivos, devolveu o 11 a 8 e tomou conta do jogo, praticamente não dando oportunidades ao brasileiro nos dois sets seguintes. Na quinta parcial, o chinês ainda controlou a partida, apesar de leve reação de Calderano.

"Foi muito difícil, joguei muito bem nos dois primeiros sets, coloquei um pouco de pressão nele. Mas ele é um jogador muito forte, quase não comete erros. Ele ganhou o segundo set, se relaxou mais e o nível dele cresceu bastante. Não consegui manter o nível muito alto depois que ele começou a jogar muito bem", reconheceu o brasileiro.

Calderano é hoje o sétimo colocado no ranking mundial do tênis de mesa, quatro posições à frente de Ma Long. O chinês, porém, foi campeão olímpico de simples nos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016, além de ter sido campeão mundial em 2015 e 2017.

Tudo o que sabemos sobre:
tênis de mesaHugo Calderano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.