Calouro brasileiro se destaca em jogo e celebra fase na NFL

Calouro brasileiro se destaca em jogo e celebra fase na NFL

Cairo Santos tem começo difícil no Kansas Chief Chiefs, mas se destaca com chute responsável pela vitória do time

Estadão Conteúdo

24 de outubro de 2014 | 16h25

Depois de um início complicado, errando um chute logo em sua partida de estreia, o brasileiro Cairo Santos já começa a mostrar serviço no Kansas Chief Chiefs. No último domingo, o kicker foi responsável pelo chute que marcou os últimos três pontos da partida e deu a vitória à equipe sobre o San Diego Chargers por 23 a 20, a segundos do fim, pela sétima semana da NFL, a liga de futebol americano dos Estados Unidos.

O chute certeiro de 48 jardas, recorde na curta carreira do brasileiro, foi muito celebrado por ele e pelos companheiros e selou a mudança neste início de trajetória de Cairo. Depois do início conturbado, o kicker já parece dono da posição no Chiefs e trata com naturalidade esta pequena reviravolta em seus primeiros jogos como profissional.

"Como kicker, às vezes é uma montanha russa", declarou o primeiro atleta nascido no Brasil a atuar na NFL. "Não pode se esconder. Se trata de ter uma fortaleza mental. Se você acerta um, precisa tratar de passar ao chute seguinte. Assim como se errar um. Nada do que fiz contra San Diego nos ajudará a vencer o Saint Louis Rams", completou, já pensando na partida deste domingo.

Na estreia pelo Chiefs, na derrota para o Tennessee Titans, Cairo errou um chute de 48 jardas e quase errou outro simples, de 35, que bateu na trave e entrou. O desempenho gerou dúvidas sobre seu trabalho, mas o brasileiro encontrou conforto nas palavras do kicker rival Ryan Succop, titular do time de Kansas City durante toda carreira até ir para o Titans nessa temporada. Succop disse ao calouro que em sua primeira temporada teve tantos erros que pensou que seria excluído do elenco.

O técnico de Cairo no Chiefs, Andy Reid, também minimizou o início irregular de Cairo. "Quando você olha para alguns dos grandes kickers em seu primeiro ano, muitos deles tiveram problemas. Digamos que tiveram altos e baixos no primeiro ano. Eu sei, dá para entender."

O próprio Cairo disse ter buscado conselhos de outros colegas de posição mais experientes, como Robbie Gould, do Chicago Bears, e Stephen Gostkowski, do New England Patriots, para evoluir. "Eu falei muito com os veteranos e me ajudaram a melhorar minha rotina", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebol americanoNFLCairo Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.