Camila, a vitória da persistência

Duas sérias contusões não tiraram da amazona o sonho de ir a Pequim

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2008 | 00h00

Quando Camila Maza de Benedicto entrou na pista, sexta-feira, na Sociedade Hípica Paulista, para concorrer a uma das duas vagas no processo seletivo para a Olimpíada de Pequim, já era vitoriosa, independentemente do resultado. Depois de quase dois anos ausente das competições por causa de duas sérias contusões, a amazona mostrou estar em boa forma e, com o cavalo Bonito Z, foi um dos três conjuntos que passaram pela pista sem faltas.Camila enfrentou drama semelhante ao de Ronaldo. "Em 2005, tive um sério acidente na Holanda", recorda. "Quebrei a tíbia, rompi os ligamentos e a musculatura do joelho e tive lesão de menisco", conta. "Na volta, na primeira prova aqui na hípica, fui fazer um movimento e tive uma nova lesão de joelho. Fiquei um ano sem saltar."Depois das graves contusões, Camila resolveu voltar aos poucos, mas com segurança para não se machucar de novo. Então, seu cavalo, Bonito Z, teve um problema. "Ele teve uma doença chamada Bambeira, que afeta o sistema nervoso. Ficou um ano parado." O conjunto só voltou a atuar há cerca de um ano, e a meta é garantir a vaga no grupo que vai para a Europa disputar a vaga na equipe olímpica brasileira.Camila foi bem no primeiro dia e compete hoje com outros 23 cavaleiros, entre eles, Bartholomeu Bueno de Miranda Neto e José Roberto Reynoso Fernandes Filho, que zeraram a pista na sexta-feira.O PROCESSO SELETIVOO processo de seleção dos conjuntos para a Olimpíada é dividido em várias etapas. Os cinco integrantes da equipe campeã por equipes nos Jogos Pan-Americanos já estão pré-classificados. Ao grupo, irão se juntar três conjuntos selecionados a partir de competições na Europa e nos Estados Unidos. Outros dois conjuntos sairão das seletivas brasileiras, totalizando dez, que participarão de competições na Europa. Os cinco concorrentes com melhores resultados vão para a Olimpíada.As seletivas brasileiras serão realizadas em duas etapas - uma em São Paulo, que termina hoje, e uma no Rio, de 16 a 20 de abril, no Complexo de Deodoro. Os competidores percorrerão duas pistas em São Paulo e quatro no Rio, podendo descartar o pior resultado, desde que não seja a última prova do evento carioca. Os dois melhores conjuntos continuam na briga por uma vaga nos Jogos de Pequim. Um só cavaleiro pode ficar com duas vagas se classificar dois cavalos diferentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.