Divulgação/Cbdi
Divulgação/Cbdi

Campeã do mundo, seleção brasileira de Futsal Down faz 'vaquinha' para defender o título

Equipe tem até 5 de fevereiro para arrecadar R$ 256 mil; por não ser paralímpico, esporte não recebe recursos do governo Federal

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2020 | 09h21

Atual campeã mundial de Futsal Down, a seleção brasileira criou uma vaquinha virtual para tentar defender o título da modalidade este ano, na Turquia, a partir de 31 de março. O torneio faz parte do Trisome Games, os Jogos Olímpicos para atletas com Síndrome de Down. Sem grandes patrocinadores, a equipe tem até o dia 5 de fevereiro para arrecadar os R$ 256 mil reais necessários para cobrir as taxas de inscrição e os custos da viagem.

"Na verdade, o prazo havia se encerrado em 31 de dezembro, mas conseguimos uma prorrogação com os organizadores, que querem ter o Brasil no torneio, até por sermos os atuais campeões", explicou o técnico da equipe, Cleiton Monteiro ao site da Confederação Brasileira de Desportos para Deficientes Intelectuais (CBDI).

O comandante disse que duas empresas estiveram perto de apoiar a seleção, mas acabaram recuando. "Duas grandes empresas se interessaram em nos apoiar, mas não bateram o martelo." A CBF também foi procurada, mas também não contribuiu. "Estive no ano passado prestando assessoria para o Futsal Down do Peru. Em uma semana, conseguimos o apoio da Federação Peruana de Futebol, algo que não conseguimos com a CBF desde 2005", lamentou.

Apesar da CBDI ser filiada ao CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), os recursos para o futsal são limitadores. Por não ser um esporte paralímpico, a modalidade não recebe repasses do governo Federal. "O sonho dos nossos atletas de buscar o bi-campeonato no exterior agora depende exclusivamente da solidariedade do brasileiro. O prazo é curto, mas acreditamos neste milagre! O esporte é um dos principais meios de socialização dessas crianças e muito importante para o desenvolvimento de todos", concluiu Cleiton.

As doações para a seleção de Futsal Down podem ser feitas no site da própria modalidade (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/futsal-down-no-mundial). As contribuições variam entre R$ 25 e R$ 20 mil, via cartão de crédito ou boleto bancário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.