Campeã mundial dos 3 mil metros depõe e nega doping

Marta Domínguez, campeã mundial dos 3 mil metros com obstáculos, negou qualquer envolvimento com doping ao testemunhar nesta quarta-feira na investigação espanhola antidoping Operação Galgo. "Tenho muito claro que sou inocente e voltarei a competir quando me recuperar da gravidez", declarou a espanhola depois de dar um depoimento de duas horas e 30 minutos em um tribunal de Madri.

AE-AP, Agência Estado

22 de dezembro de 2010 | 13h32

Domínguez, de 35 anos, é uma das 14 pessoas presas em 9 de dezembro depois que a Guarda Civil espanhola supostamente encontrou esteroides anabolizantes, hormônios, bolsas de sangue e equipamentos para realizar doping sanguíneo. Ela disse que nada foi apreendido na sua casa, e negou que trafica substâncias dopantes. Observou que a ligaram ao caso por conta de gravações telefônicas. "Causaram muito dano à minha imagem, à minha família, aos meus entes queridos", indicou.

Domínguez, que tem quatro meses de gravidez e não está competindo, já havia negado anteriormente qualquer atividade ilegal. Entre os suspeitos estão seu treinador César Pérez, o ex-campeão europeu dos 5 mil metros Alberto García, e o médico Eufemiano Fuentes, que esteve no centro da Operação Porto.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismodopingMarta Domínguez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.