Gabriel Bouys/AFP
Gabriel Bouys/AFP

Campeã olímpica morre em acidente aéreo na Argentina

Além de Camille Muffat, o boxeador Alexis Vastine e o velejadora Florence Arthaud também morreram na tragédia de helicóptero

O Estado de S. Paulo

09 Março 2015 | 22h51

Atualizado dia 10/3/2015, às 9h30

Campeã olímpica nos Jogos de Londres, em 2012, a nadadora francesa Camille Muffat morreu em um acidente de helicóptero na localidade argentina de Villa Castelli, ao norte do país, na tarde desta segunda-feira. Outras nove pessoas, incluindo o medalhista olímpico, o boxeador Alexis Vastine, e a velejadora Florence Arthaud, de 57 anos, também morreram.

Camille, Vastine e Arthaud faziam parte do elenco do reality show Dropped, programa do canal francês TF1 em que duas equipes de celebridades tinham como desafio sobreviver em condições extremas até encontrar a civilização. 

No momento do acidente, a equipe de dez pessoas estava dividida em dois helicópteros, que eram conduzidos por pilotos argentinos. Segundo informações da polícia da província de La Rioja, as aeronaves se chocaram no ar, embora as condições de voo fossem consideradas boas. Ninguém sobreviveu.

Considerada a maior estrela da natação francesa na atualidade, Camille tinha 25 anos e havia anunciado uma parada em sua carreira esportiva em julho de 2014. Na Olimpíada de Londres, ela venceu os 400 metros livre, foi prata nos 200 metros livre e bronze no 4 x 200 metros livre. No mesmo ano, bateu dois recordes mundiais em piscina curta, nos 400 metros e 800 metros livre. No Mundial de Barcelona, em 2013, sua última grande competição, ela foi bronze nos 200 metros livre e ficou em sétimo lugar nos 400 metros.

Alexis Vastine, de 28 anos, foi medalhista de bronze na edição de 2008 da Olimpíada, em Pequim. Os demais franceses foram identificados pelo governo de La Rioja como Laurent Sbasnik, Lucie Mei-Dalby, Volodia Guinard, Brice Guilbert e Edouard Gilles. Os argentinos, que eram os pilotos dos helicópteros, chamavam-se Juan Carlos Castillos e Roberto Abate.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.