Campeão é o agente

Avaí e Coritiba empataram fora de casa o jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil. Em comum, as duas zebras não têm apenas a chance concreta de chegar à decisão. Têm também o mesmo parceiro. Luís Alberto de Oliveira é um empresário de futebol ainda mais desconhecido do que os elencos modestos de Coritiba e Avaí. Sua trajetória é incrível. Em 2006, sua empresa, que leva suas iniciais - L.A. Sports - estava associada ao Paraná Clube, quinto colocado no Campeonato Brasileiro e classificado para a Taça Libertadores da América.

Paulo Vinícius Coelho, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2011 | 00h00

Dizia-se que o sucesso do Paraná estava baseado na seriedade de seu presidente, o professor universitário José Carlos Miranda. Um ano depois, Miranda foi deposto, acusado de desvio de dinheiro na negociação de Thiago Neves.

Luís Alberto deixou o Paraná e associou-se com o Avaí. O clube catarinense saltou da Série B para a briga por uma vaga na Libertadores. No ano passado, a L.A. Sports dividiu sua atenção entre o Avaí e o Coritiba. Este ano, o Coxa virou recordista de vitórias consecutivas e favorito na Copa do Brasil.

Luís Alberto de Oliveira parece Midas: o que toca vira ouro. Mas o sucesso de Coritiba e Avaí não consagra o modelo de parceria. É só um ingrediente de uma longa discussão.

Acordos semelhantes fracassaram. Palmeiras e Traffic são exemplos disso. O Santos inicia o Brasileirão em guerra com o grupo Sonda, dono de 45% do contrato de Paulo Henrique Ganso.

"O segredo é a independência. Iniciamos a parceria quando tínhamos uma situação econômica delicada. Mas sempre escolhemos os jogadores. Hoje, temos pelo menos 50% de todos do Luís Alberto. E ele tem comprometimento conosco'', jura o vice-presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade.

A palavra-chave é essa: independência. O modelo só vale assim, mas há até clubes independentes que recorrem a ele e se dão mal. O Manchester United ficou à mercê de Kia Joorabchiam na renovação de Tévez, que foi para o Manchester City.

O caso do Avaí é diferente do Coritiba. "No início, indiquei o diretor de futebol e o técnico Silas, que busquei no Fortaleza. Isso mudou. Como parceiro do Coritiba, não poderia mais gerir o Avaí", diz Luís Alberto.

O Coritiba tem hoje cinco jogadores com passagem pelo Avaí, oito que pertencem à L.A. Sports. Em Florianópolis, dizem que a decisão da Copa do Brasil será Avaí A x Avaí B. No fundo, o campeão da Copa do Brasil pode ser um empresário.

A falência da Copa. Nunca se esqueça que o Itaquerão é a terceira opção paulista para a Copa de 2014. Quando a CBF anunciou que o Morumbi estava fora, no dia seguinte à derrota para Fábio Koff e Juvenal Juvêncio na eleição do Clube dos 13, o que se disse foi que São Paulo ergueria um estádio em Pirituba. Ricardo Teixeira apostou nisso e quebrou a cara.

Sabendo que o presidente Lula gostaria de ter um estádio do Corinthians, construído pela Odebrecht, o Comitê da Copa apostou nessa alternativa. O anúncio veio em 31 de agosto. Itaquera seria abertura do Mundial. Lula queria o estádio do Corinthians, não da Copa. Teixeira queria o estádio da Copa, dane-se o Corinthians!

Nesta semana, o Corinthians pediu dinheiro para o governo do Estado que, sabiamente, disse "NÃO!" Faltam três anos para a Copa. O estádio da abertura não existe e está claro que não se sabe de onde virá o dinheiro para fazer a obra. Não há, na história dos Mundiais, abertura sem palco definido três anos antes de acontecer. O governo estadual está certo.

Errados estão o Comitê da Copa, o ministro dos Esportes e o governo federal, que não dizem à FIFA que, se querem São Paulo, o Mundial deve ser no Morumbi. A Copa no Brasil não vai dar vexame. Ela já é uma vergonha!

Brasileirão 2011. A Copa América pode atrapalhar o Santos ao tirar Neymar e Ganso por mais de um mês, mas o time de Muricy Ramalho começa como favorito, mesmo envolvido na Libertadores. Cruzeiro e São Paulo são as forças secundárias. É óbvio que outro candidato pode ganhar, como aconteceu com Flamengo e Fluminense em 2010 e 2011. Mas o futebol jogado em maio indica isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.