Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Campeão no evento-teste, Zanetti promete mais treino para Jogos

Atleta da ginástica quer fazer bonito na Olimpíada do Rio

Estadão Conteúdo

18 de abril de 2016 | 22h52

Depois de ficar de fora da final do Mundial do ano passado, em Glasgow, na Escócia, Arthur Zanetti brilhou nesta segunda-feira para conquistar a medalha de ouro nas argolas no evento-teste dos Jogos Olímpicos do Rio, na Arena Rio, na sua primeira competição internacional na temporada. O brasileiro ficou à frente do grego Eleftherios Petrounias, campeão mundial, que ficou com a prata, e do francês Samir Ait Said.

"Foi uma conquista maravilhosa. Competir na mesma arena da Olimpíada e sair com esse resultado foi muito bom. Valeu participar dessa competição. Eu sei o quanto tive que treinar para voltar ao ritmo da minha série como estava antes. Agora é treino, treino? só treino! O Marcos vai puxar muito porque a gente viu que faz a diferença. Precisa competir, mas o treino é essencial", disse Arthur Zanetti, já projetando o que tem de fazer para a Olimpíada, em agosto.

A disputa com Petrounias foi acirrada, mas Arthur Zanetti disse que a pressão "vem de todos os lados para todo mundo que compete em uma Olimpíada", não apenas para ele ou o grego. "Pode acontecer de ele ficar em primeiro em uma qualificatória, competir e jogar a pressão pra cima de mim? Quem estiver melhor de cabeça na hora é que vai tirar o melhor resultado. A torcida ajuda, a gente sentiu que a torcida brasileira está do nosso lado. Estar em casa é muito bom, uma grande vantagem, é totalmente positivo".

Marcos Goto, treinador de Arthur Zanetti, aprovou o planejamento de treinar mais para esta temporada. "Não tem segredo, apenas treino", ressaltou. "Deixamos de fazer algumas competições para treinar. Não é nenhuma tática não, mas o Arthur chegou em um nível que precisa de mais treinos do que competições", explicou.

Para o técnico, as duas apresentações de Arthur Zanetti nesta segunda-feira, tanto nas eliminatórias quanto na final, foram boas. "Estávamos buscando essas notas, melhorar a prova em relação ao Mundial de Glasgow. Estamos no caminho certo para a Olimpíada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.