Campeão olímpico admite uso de substâncias proibidas

O americano LaShawn Merritt, campeão olímpico dos 400 metros em Pequim/2008, foi suspenso provisoriamente nesta quinta-feira por ter sido flagrado em três exames antidoping entre outubro e janeiro deste ano. O atleta, também campeão mundial em Berlim/2009, deu positivo para dois esteroides proibidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

AE, Agência Estado

22 de abril de 2010 | 17h47

De acordo com o advogado Howard Jacobs, o corredor admitiu o uso das substâncias e aceitou uma eventual punição do COI, que ainda não se manifestou sobre o caso. "Ele aceitou uma suspensão provisória por causa do uso de um produto sem receita para melhorar o seu rendimento masculino que vinha usando com frequência até o final da temporada passada", informou.

O advogado também revelou que o atleta só foi notificado sobre o resultado dos exames em março. "E foi só nos últimos dias ele foi advertido de que o DHEA foi a causa do resultado positivo [dos exames antidoping]", explicou Jacobs.

As provas do atleta deram positivo para os esteroides DHEA

(Dehydroepiandrosterona) e pregnenolona, ambos proibidos pelo COI. As duas substâncias tiveram registros acima do normal nos três testes realizados em outubro, novembro e janeiro.

Em nota, Merritt lamentou a utilização dos esteroides e pediu perdão à família, amigos e patrocinadores por seu erro "tolo, imaturo e egoísta". O atleta não deverá participar das próximas competições até ter seu caso resolvido.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismodopingLaShawn Merritt

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.