Franck Fife|EFE
Franck Fife|EFE

Campeão olímpico desce do pódio e recusa medalha de Mundial em boicote a russos

Martin Fourcade protesta por causa do escândalo de doping no país dos adversários

Estadao Conteudo

09 Fevereiro 2017 | 15h10

Astro do biatlo, dono de dois ouros olímpicos, o francês Martin Fourcade fez um dos gestos mais incisivos de repúdio ao escândalo de doping que atinge o esporte russo. Nesta quinta-feira, ele desceu do pódio do Campeonato Mundial e simplesmente foi embora assim que a equipe russa subiu para receber sua medalha de bronze.

 

Não que a medalha de prata que o francês deixou de pegar vá fazer falta na sua coleção. No Mundial de 2016, por exemplo, Fourcade ganhou quatro de ouro e uma de prata. Tinha 19, sendo 10 de ouro, até a abertura do Mundial, nesta quinta-feira, em Hochfilzen, na Áustria.

 

A de prata no revezamento misto seria sua 20.ª. Pelo protocolo, primeiro subiram ao pódio os quatro atletas campeões com a Alemanha. Depois, os franceses. Antes de subirem ao lugar reservado aos terceiros colocados, os russos tentaram cumprimentá-lo, sem sucesso. Ele batia palmas acintosamente - e de forma claramente irônica.

No momento que os russos subiram para o pódio, o francês se retirou do seu lugar e passou em frente aos russos sem encará-los, criando um clima de constrangimento geral.

 

Também o biatlo foi atingido pelo recente escândalo de doping que atinge o esporte russo. De acordo com a União Internacional de Biatlo, 31 atletas russos da modalidade foram citados no relatório final do investigador canadense Richard McLaren. A etapa de Copa do Mundo que seria realizada na Rússia em março foi cancelada, depois que a Grã-Bretanha se recusou a participar dela.

Mais conteúdo sobre:
biatlo Jogos de Inverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.