Campeão olímpico preso no Brasil volta à Bulgária

SÃO PAULO - Galabin Boevski, o campeão olímpico do levantamento de peso que estava preso no Brasil, acusado de tráfico internacional de drogas, chegou de surpresa à Bulgária na noite de quarta-feira. Ele teria sido extraditado pela Justiça brasileira, segundo informou a diplomacia búlgara, pega de surpresa também com o retorno do ídolo nacional, que cumpria pena de nove anos e quatro meses em regime fechado. Boevski conquistou a medalha de ouro de levantamento de peso nos Jogos de Sydney/2000. Ele foi preso entrando no Brasil com 7,2 kg de cocaína em 2011. Estava preso em Itaí, na região de Itapetininga, interior de São Paulo. O búlgaro sempre alegou inocência, dizendo que a droga foi colocada na sua mala.

Agência Estado

24 de outubro de 2013 | 10h38

Segundo autoridades búlgaras, Boevski alegou, na chegada ao seu país, que recebeu liberação antecipada por parte da justiça brasileiro. O procurador-geral da Bulgária, Sotir Tsatsarov, afirmou que "aparentemente" o Brasil deportou Boevski por uma política de expulsar estrangeiros condenados. Já o porta-voz do ministério do Exterior disse que o Brasil não notificou a Bulgária sobre a decisão.

A TV nacional búlgara mostrou para todo o país as imagens de Boevski, três vezes eleito o atleta do ano no país, chegando a Sofia vindo de Paris. O halterofilista não quis falar com a imprensa. Boevski, campeão mundial da categoria até 69kg em 1999 e 2001, ficou de 2004 até o ano passado suspenso do esporte por doping.

Leia Também

RIO 2016

Tudo o que sabemos sobre:
halterofilismoBulgária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.