Campeão pela 1ª vez, Abel Braga diz que fica

Técnico alcança feito inédito na carreira e avisa que vai comandar o time na caminhada rumo ao título da Libertadores

DANIEL BATISTA , PAULO GALDIERI, ENVIADOS ESPECIAIS, PRESIDENTE PRUDENTE, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2012 | 02h03

Abel Braga selou seu retorno ao Fluminense no começo do Brasileiro de 2011. O projeto era ambicioso: levar o time a repetir o feito de 2010, quando, sob a batuta de Muricy Ramalho, sagrou-se campeão brasileiro, e levar para as Laranjeiras a Libertadores pela primeira vez na história.

O título nacional foi obtido com uma campanha quase impecável (apenas três derrotas) e com três rodadas de antecedência. O torneio continental é o próximo objetivo. E, pelo que disse o técnico ainda durante as comemorações, no campo, ele ficará para conduzir o time à conquista da América.

Abel, cujo contrato terminará no fim deste ano, afirmou que ficará para tentar sua segunda Libertadores como treinador - a primeira ele conquistou à frente do Internacional, em 2006.

Com um grito dirigido aos torcedores do Fluminense, que se espremiam no alambrado do Prudentão para comemorar o tetra brasileiro - e pedir para que o treinador renove seu contrato com o clube - , Abel anunciou sua decisão. "Eu vou ficar!".

Depois, com mais calma, o treinador repetiu as palavras aos microfones que o rodeavam. "Vou ficar. Eu tinha de dizer primeiro para eles (torcedores)."

O técnico, campeão brasileiro pela primeira vez na carreira, disse nunca ter estado tão satisfeito como agora no Fluminense. "Nunca passei num clube esse momento, ganhei até coisas melhores no Inter e nunca foi assim." No clube gaúcho, além de faturar o título continental, Abel também levantou o Mundial de Clubes batendo o Barcelona.

Em seguida, Abel se derramou em elogios a seus jogadores: "Este é um time bom, com ambiente ótimo", afirmou o treinador. "E é assim que se ganha, isso traz comprometimento e eles estão comprometidos."

Herói de grupo. Nenhuma comemoração teria acontecido ontem em Presidente Prudente não fosse por Fred. Com dois gols e participação direta no terceiro (contra de Maurício Ramos), o artilheiro do Brasileiro, agora com 19 gols na conta, foi ovacionado como o principal herói do título nacional.

"Eu não sou o cara, o Fluminense é o melhor elenco do campeonato. É o time. E prova disso é que, mesmo com tantas coisas que ouvimos durante a competição, nós conseguimos o título. Na 16.ª rodada estávamos 11 pontos atrás e chegamos lá. Um campeonato como este é difícil, perde, empata... Mas este grupo conseguiu ser campeão com três derrotas."

Fred foi um dos primeiros a começar a comemoração pelo título, mas não imediatamente após o apito final de Leandro Pedro Vuaden. Por algum tempo, os jogadores hesitaram.

Segundo o atacante, eles ainda não sabiam que haviam conquistado o título, pois demorou para serem avisados do empate do Atlético-MG com o Vasco, no Rio, resultado que lhes assegurou a conquista. "Também não quisemos comemorar muito por causa da segurança, com o Palmeiras nessa situação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.