Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Candidatos a cargo de vice do COB expõem suas ideias em debate

Postulantes a cargo no Comitê Olímpico do Brasil falam sobre assuntos polêmicos, como atletas trans no esporte

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2018 | 17h34

Os três candidatos ao cargo de vice-presidente do COB (Comitê Olímpico do Brasil) participaram nesta quarta-feira de um debate promovido pela entidade sem fins lucrativos Sou do Esporte, em São Paulo, no Auditório Demarest. Entre o público presente estavam o ex-jogador de vôlei, Nalbert, e a ex-jogadora de basquete, Paula, além de Thiago Pereira (natação), Beatriz Futuro (rúgbi) e Tiago Camilo (judô).

+ STJ nega pedido do MPF e mantém Carlos Arthur Nuzman em liberdade

+ Paula lamenta falta de legado do Rio e vê solução nas práticas de boa gestão

Por mais de três horas, Marco Antônio La Porta, presidente da CBTri (Confederação Brasileira de Triatlo), Marcel de Souza, ex-jogador da seleção brasileira de basquete, e José Medalha, técnico de basquete, colocaram suas propostas e debateram sobre o esporte nacional.

Eles responderam perguntas sobre a presença de atletas trans no esporte, sobre as modalidades de neve e gelo e sua importância em um país tropical, sobre os esportes eletrônicos e o quanto movimentam economicamente, sobre os critérios para divisão do repasse da Lei Piva, sobre o Conselho Administrativo do COB, entre outros temas.

Todos tiveram o mesmo tempo de exposição e também para responder às questões. La Porta é considerado o candidato de boa parte das confederações, até por ser presidente de uma. Numa situação normal, seria favorito, pois é bem comum que as entidades votem em seus pares. "As confederações nunca foram tão ouvidas no COB como hoje", explicou La Porta, que em diversas oportunidades elogiou o presidente Paulo Wanderley Teixeira.

Após o afastamento de Carlos Arthur Nuzman da presidência, houve uma abertura para que os atletas tivessem mais espaço. Foi assim que Marcel surgiu como um candidato representativo dos competidores. "Se a gente faz esse trabalho todo, vou ter de ficar mais perto do COB. É uma missão. Meu compromisso em levar esse entendimento de que os atletas precisam ser ouvidos e serem mais integrados com os dirigentes. Quero chegar lá para dar minha colaboração", afirmou.

José Medalha também busca apoio para sua candidatura e defende mais investimento no esporte escolar. Ele tem uma trajetória acadêmica e profissional, o que para ele pode ajudar a aprimorar a gestão no COB. "Se os eleitores entenderem que minha experiência pode ser útil, vou me dedicar completamente."

A eleição no COB será realizada no dia 23 de março, na sede da entidade, e além da definição do novo vice-presidente, serão ainda definidas os 10 representantes no Conselho de Administração e os cinco no Conselho de Ética. Participam da votação os 48 membros da Assembleia do COB (presidentes das 35 confederações filiadas, os 12 atletas mais bem votados para a composição da Comissão de Atletas e o representante brasileiro no COI, Bernard Rajzman).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.