Cansado, Palmeiras busca garantir 1.º lugar

Jogadores sentem a maratona de jogos, viagens e treinos. Hoje, o desafio será em Itápolis

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

31 de março de 2009 | 00h00

O cansaço bateu forte no elenco do Palmeiras. E os jogadores já acusam a maratona de jogos, treinos e viagens. Hoje, eles terão mais uma oportunidade para consolidar a liderança definitiva e avançar com vantagem à fase final do Campeonato Paulista - a primeira chance naufragou com a derrota para o São Paulo, por 1 a 0, no sábado. O desafio, agora, é contra o Oeste, em Itápolis, às 19h30.Daqui a oito dias, o Palmeiras terá pela frente o jogo que pode eliminá-lo da Taça Libertadores ou manter a esperança de classificação para as oitavas-de-final. No Recife, terá de vencer o Sport. Para poder concentrar suas forças contra o adversário nordestino, os três pontos hoje são fundamentais. Ninguém quer deixar para a última rodada da fase classificatória, domingo, contra o Botafogo, a chance de ratificar a liderança. O Palmeiras realizou 21 partidas na temporada - 17 no Estadual e quatro na Libertadores. Os jogadores já demonstram fadiga. Após um dia de folga, no domingo, o elenco viajou ontem para Bauru, treinou à tarde e, hoje, horas antes do jogo, segue para Itápolis. Logo depois do desafio contra o Oeste o grupo retorna a São Paulo, para mais treinos a partir de amanhã."Foi jogo sábado, treino terça... É pouco tempo para a gente se recuperar", reclamou o volante Pierre. "É importante a gente ganhar agora para poder focar melhor o Sport." O atacante Keirrison também espera "matar" logo o jogo de hoje para poder descansar um pouco. "Viajar e treinar em seguida é difícil, sempre vai ter cansaço", disse.O camisa 9 deve formar dupla com Lenny. Willians, machucado, ficou em São Paulo. Diego Souza retorna ao time, após cumprir suspensão no clássico. O Oeste, que perdeu o técnico Luciano Dias, será dirigido pelo interino João Ricardo. Pressionado, o time de Itápolis tenta se afastar do rebaixamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.