Cardinals e Steelers chegam otimistas ao Super Bowl

Time do Arizona busca seu primeiro título da NFL, enquanto a equipe de Pittsburgh quer o sexto

EFE,

28 de janeiro de 2009 | 13h36

Ross D. Franklin/APIke Taylor, do Pittsburgh Steelers entrevista o colega de equipe, Troy Polamalu; confiança no títuloTAMPA BAY - Arizona Cardinals e Pittsburgh Steelers, que fazem o Super Bowl no próximo domingo em Tampa, esbanjaram confiança na conquista do título em suas primeiras declarações à imprensa.Veja também:Às vésperas do Super Bowl, Warner é destaque no 'Media Day'Crise financeira também chega ao Super BowlMike Tomlin, técnico dos Steelers, disse que a equipe não vai mudar nada para a grande decisão. Ele já participou do Super Bowl em 2003, como parte da comissão do Tampa Bay Buccaneers que levou o título. "Simplesmente vamos nos adaptar ao ambiente especial da partida e manter em campo o que fizemos durante toda a temporada. Respeitamos o adversário e isso é o mais importante", comentou.Outro que chega "vacinado" ao jogo é o quarterback Ben Roethlisberger, dos Steelers. Ele foi herói e vilão ao ser o mais jovem de sua posição a disputar um Super Bowl, mas também acabou com um dos piores.No Super Bowl de 2004, ele levou o Pittsburgh à vitória ao bater o Seattle Seahawks por 21 a 10, mas acabou interceptado duas vezes. A equipe só levou o quinto título de sua história por conta da péssima atuação da arbitragem, uma das mais confusas na história da NFL (Liga de Futebol Americano)."Tenho algo pendente no âmbito pessoal e venho decidido a jogar melhor agora. Mas no final o que conta mesmo é a vitória, não importa o que cada um fez ", destacou Roethlisberger.Já Troy Polamalu, um dos destaques da equipe, sabe que sua atuação terá de ser boa: ele terá de marcar ninguém menos que Larry Fitzgerald, destaque ofensivo do Arizona. "Vamos parar não só ele, mas todos os bons jogadores dos Cardinals", garantiu.Hines Ward, esperança dos Steelers de chegar à vitória, quer esquecer a lesão sofrida na final da Conferência Americana, diante do Baltimore Ravens, e disse que está mais pronto do que nunca. Ele venceu o prêmio de Melhor Jogador (MVP, em inglês) no Super Bowl de 2004.Os Cardinals, que disputam a primeira final na história, conta com o trunfo do treinador Ken Whisenhunt, que trabalhou na franquia de Pittsburgh e conhece o adversário melhor que ninguém."Somos uma equipe que conseguiu melhorar muitos aspectos de nosso jogo. Quando entrarmos em campo, teremos todas as chances de conseguir a vitória", disse Whisenhunt.O Arizona terminou com nove vitórias e sete derrotas na temporada regular, e por isso é considerado zebra nesta decisão. Entretanto, o veterano quarterback Kurt Warner, de 37 anos, garante que a equipe escreverá seu nome na história com o inédito título. O jogador também tenta uma marca pessoal: buscará ser campeão em duas décadas distintas - venceu em 1999, pelo Saint Louis Rams.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.