REUTERS/Kai Pfaffenbach
REUTERS/Kai Pfaffenbach

CAS ouvirá em novembro recurso contra medalha olímpica cassada de Bolt

Audiência da apelação de Nesta Carter, que foi pego no doping, será no dia 15

Estadão Conteúdo

11 de setembro de 2017 | 12h35

O recurso do caso envolvendo a medalha olímpica retirada de Usain Bolt e da equipe de revezamento 4x100 metros da Jamaica nos Jogos de Pequim, em 2008, vai ser avaliado em novembro.

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) anunciou nesta segunda-feira que a apelação de Nesta Carter contra a desclassificação imposta pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) teve a audiência marcada para 15 de novembro. O veredicto deverá ser apresentado nas semanas seguintes.

Carter testou positivo para o estimulante proibido metilhexaneamina na reanálise feita no ano passado do exame antidoping realizado nos Jogos de Pequim. Ele e Bolt faziam parte da equipe de revezamento 4x100 metros que ganhou o ouro com um recorde mundial de 37s10. Na final, Carter largou e Bolt foi o terceiro a correr pela equipe que também contava com Michael Frater e Asafa Powell.

A desqualificação imposta pelo COI para Carter e a equipe de revezamento ocorreu em janeiro, estragando o feito de Bolt, que havia conquistado três medalhas de ouro - nos 100m, 200m e 4x100 metros - em três Jogos Olímpicos consecutivos, de 2008 a 2016. Além disso, levou a equipe do Brasil a herdar a medalha de bronze, com o ouro indo para Trinidad e Tobago e a prata ficando com o Japão.

Bolt disse em fevereiro que não estava "triste" por perder a medalha, mas que estava "esperando para ver se Nesta vai apelar". A equipe jurídica de Carter pode até convocar Bolt para comparecer como testemunha na audiência, que deverá ocorrer em Lausanne, a sede da CAS e do COI.

Dezenas de atletas testaram positivo para substâncias proibidas no programa liderado pelo COI de reanálise com o uso de técnicas mais novas e precisas dos testes antidoping feitos durante Pequim-2008 e Londres-2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.