Dominic Ebenbichler / Reuters
Dominic Ebenbichler / Reuters

CAS rejeita recurso e retira medalhas de prata por doping de duas atletas russas

Tatyana Lebedeva foi desclassificada nas provas de salto em distância e salto triplo de Pequim 2008

Estadão Conteúdo

26 de julho de 2018 | 12h46

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) negou os recursos e confirmou a desclassificação por doping de três esportistas russas, entre elas as vice-campeãs olímpicas Tatyana Lebedeva e Maria Abakumova, além da atleta Ekaterina Gnidenko.

As três foram flagradas em exame antidoping do COI e testaram positivo por uso de anabolizante. Em defesa, as atletas apelaram à CAS e afirmaram que os métodos de análise utilizado pelo laboratório não eram cientificamente válidos. A entidade máxima jurídica esportiva rejeitou as justificativas.

Tatyana Lebedeva perdeu suas duas medalhas de prata conquistadas nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008 no salto em distância e no salto triplo. Abakumova ficou sem a prata no dardo, também em Pequim. Gnidenko é ciclista e foi desclassificada dos Jogos de Londres-2012, quando terminou sua prova na oitava colocação.

Caso as medalhas sejam realocadas, o salto triplo premiará a quarta e quinta colocadas com a prata e o bronze, respectivamente. Isso porque, além de Lebedeva, a grega Chrysopigi Devetzi, que havia garantido a terceira colocação, também foi flagrada no doping anteriormente.

Com isso, a casaque Olga Rypakova subiria do quarto para o segundo lugar e a cubana Yargelis Savigne sairia do quinto para o terceiro. No salto em distância, a nigeriana Blessing Okagbare seria prata e a jamaicana Chelsea Hammond, bronze. No dardo, a alemã Christina Obergfoll herdaria o segundo lugar e a britânica Goldie Sayers seria terceira colocada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.