Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Casa do atletismo em Bragança Paulista ainda passa por reformas

Local foi sede do camping da seleção na véspera do Mundial de Revezamentos

Nathalia Garcia, enviada especial a Bragança Paulista, O Estado de S. Paulo

22 de abril de 2017 | 07h01

Na véspera do Mundial de Revezamentos, a seleção brasileira se reuniu pela primeira vez no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), em Bragança Paulista (SP). O camping foi o primeiro contato com a nova casa do atletismo brasileiro - instalada na área do antigo clube da Rede. Sem iluminação na pista, o local ainda passa por reformas.

"Programamos o camping para aproveitar a estrutura do centro, que será a casa do atletismo pelos próximos 20 anos. Essa é a primeira visita oficial de seleções, estamos deixando (o local) adequado para recepcionar melhor os atletas. A proposta é fazermos as preparações pré-competições aqui", explica Clovis Alberto Franciscon, gerente de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

A revitalização do espaço inclui uma pista indoor (com quatro raias), uma caixa de saltos horizontais, espaço para saltos verticais, com salto com cara, e a adequação de salas internas para musculação, fisioterapia, massoterapia e biomecânica. A construção de um alojamento também está no projeto, enquanto não sai do papel, os atletas ficam hospedados em um hotel próximo ao centro de treinamento.

A projeção é que as obras sejam concluídas ainda este ano. "Começamos as obras de revitalização do centro este mês (abril). Queremos que até o segundo semestre esteja 100% funcionando para receber ao menos a seleção que vai para o Mundial de Londres", projeta. 

Segundo o dirigente, os atrasos devem-se à questão financeira. "Estamos com dificuldade, não estamos seguindo o cronograma que havíamos previsto por conta do retardo do contrato de patrocínio da Caixa", justifica Clovis Alberto Franciscon. Entre 2013 e 2016, o aporte da estatal foi de R$ 90 milhões; valor que sofrerá redução para o ciclo olímpico até os Jogos de Tóquio, em 2020.

 

Tudo o que sabemos sobre:
AtletismoBragança Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.