Caso Garrido vai parar na Justiça

O drama envolvendo o meio-pesado Fábio Garrido está indo para a Justiça. O advogado da família, Fernando Prado, prometeu apresentar nesta quarta-feira um pedido para que os organizadores da trágica luta de sábado paguem o tratamento do pugilista em um hospital particular. Garrido, de 24 anos, deixou o ringue do Hotel Unique desmaiado, após ser duramente nocauteado por Mario Soares. Desde então, permanece internado, em estado grave, no Hospital São Paulo.A luta, válida pelo título nacional da Confederação Brasileira de Boxe, teve como promotor o próprio Mario Soares, dono da Boxe Promotion, organizadora da noitada. De acordo com Mário Soares, o tratamento está sendo realizado num hospital de alta qualidade e agora só resta torcer para Fábio Garrido se recuperar. "Eles vão entrar na Justiça pedindo o quê? Deve ter gente aí, algum mau caráter, querendo se aproveitar para ganhar dinheiro com essa situação", analisa o pugilista. Ele afirma que a questão será resolvida, a partir de agora, por seu advogado.O empresário, de 35 anos, tem o objetivo de disputar o título mundial da categoria. A luta com Garrido era a terceira das 15 planejadas no Unique. Mário Soares não vê nenhuma questão antiética em ter pago o cachê de cerca de R$ 4 mil para seu adversário. "Não existia qualquer acordo para ele facilitar a luta ou para eu vencer", defende-se.Mário Soares encara o episódio como uma tragédia passível de ocorrer em qualquer esporte. Lembrou a morte de Ayrton Senna para dizer que responsabilizar este ou aquele personagem pelo ocorrido é oportunismo. "O árbitro (Vanildo Dias) não podia fazer nada, quem quis continuar, valente até o final, foi o Garrido. Boxe é coisa para homem e ele foi muito homem."Preocupação - Enquanto isso, o pai do pugilista, Nilson Garrido, montou guarda no saguão do Pronto Socorro do Hospital São Paulo desde sábado à noite. "Estou muito triste, só consigo pensar como pai, na saúde do meu filho", disse, por telefone, chorando. Segundo o advogado Fernando Prado, Nilson está dormindo no banco de madeira do saguão. Na ação, a família pedirá para que os organizadores da luta, Boxe Promotion, Hotel Unique e Rede Bandeirantes, arquem com o tratamento do paciente no sistema privado. Evolução - O boletim médico divulgado pelo Hospital São Paulo, no final da tarde desta terça-feira, informa que nova tomografia indicou melhora no estado de Garrido. Com isso, será reduzida a sedação para se avaliar o nível de consciência do paciente, que respira por aparelhos. Ele toma ainda antibióticos por causa de uma pneumonia no pulmão direito.

Agencia Estado,

27 de abril de 2004 | 20h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.