Cássio, o goleiro em ascensão e querido por todos no clube

Convocado para defender a seleção brasileira, o titular do Corinthians quer aproveitar mais essa chance na carreira

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2012 | 03h04

O clássico contra o São Paulo será o primeiro jogo do goleiro Cássio após ele ter sido convocado para seleção brasileira, o que comprova sua ascensão. Há quatro meses ele sequer era titular do Corinthians, e há oito, estava esquecido no PSV, da Holanda.

O técnico Tite foi um dos responsáveis pela contratação do goleiro que acabou com o temor que existia no clube, por parte da torcida e também de dirigentes, quando o assunto era o camisa 1.

A diretoria do Corinthians foi ao mercado ainda no final do ano passado, com o Brasileirão em curso, para procurar um goleiro capaz de assumir o gol assim que Júlio César, então titular, fraquejasse. Mas existia um problema: precisava ser barato.

Quando surgiu o nome de Cássio, Tite deu o aval. E a diretoria, com uma boa ajuda do próprio goleiro, conseguiu que o PSV o liberasse sem dificuldade. Ele assinou um pré-contrato em novembro, antes de o clube erguer o troféu de campeão Brasileiro.

O grandalhão de 1,95m foi importante na conquista do título da Libertadores ao dar confiança para o time. Quem convive com Cássio dos treinamentos diz que ele é um brincalhão e querido pelo grupo. No clube, também reforçam sua humildade a ponto de reconhecer seus erros, como aconteceu no empate por 1 a 1 contra o Atlético-GO pelo Brasileirão. "Foi falha minha, eu cheguei atrasado e o cara (Ricardo Bueno) cabeceou."

A chance na seleção principal vem aos 25 anos, num bom momento para ele. "É o momento de medicar ainda mais no Corinthians e buscar minha história na seleção neste meu retorno (ao País), disse Cássio. "Só fui convocado pelo meu bom trabalho no clube."

Cássio sabe que agora será até mais cobrado, especialmente em jogos como o de hoje, um clássico contra o São Paulo num Pacaembu lotado. Do outro lado estará o goleiro Rogério Ceni, a quem Cássio admira.

Partidas com a de hoje e, se ele tiver chance de atuar contra África do Sul e China, podem mudar (mais uma vez) a vida de Cássio, afinal, a Copa de 2014 está aí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.