Mohammed Dabbous/Reuters
Mohammed Dabbous/Reuters

Catar derrota alemães e se garante na semifinal do Mundial de Handebol

Torcida empurra equipe com nove estrangeiros para ganhar por 26 a 24 e se aproximar de decisão inédita para não-europeus no torneio

Vítor Marques, enviado especial a Doha, O Estado de S. Paulo

28 de janeiro de 2015 | 15h17

A "legião estrangeira" do Catar provou que pode quebrar a hegemonia europeia no Mundial Masculino de Handebol. A seleção catariana derrotou a Alemanha nesta quarta-feira por 26 a 24 e se classificou às semifinais do torneio. Agora o Catar tem a chance de quebrar um tabu: nunca uma seleção não europeia chegou à final de um Mundial. A seleção do Catar, porém, é formada por nove estrangeiros.

Markovic, que é montenegrino, Rafael Capote, cubano, e o goleiro Saric, bósnio, foram os destaques da equipe comandada pelo técnico Valero Rivera, espanhol e atual campeão do mundo. Capote foi o artilheiro do jogo, com oito gols.

O resultado foi até além do esperado pelos catarianos. O time montado por Rivera tinha a intenção de pelo menos passar da primeira fase. Poucos imaginavam que a seleção do país árabe chegasse às semifinais, garantindo pelo menos a quarta colocação.

A seleção catariana contou ainda com o apoio de sua torcida. Desta vez, o ginásio de Lusail recebeu um grande e animado público. Nos minutos finais, a pressão da torcida ajudou o Catar a confirmar a vitória.

O Catar fez um primeiro tempo muito bom e abriu uma vantagem parcial de 18 a 14. No segundo tempo, os alemães chegaram a encostar no placar, mas não conseguiram virar o jogo. Pelo cruzamento das chaves, a seleção do Catar enfrenta a Polônia, que derrotou a Croácia por 24 a 22 nesta quarta-feira.

* O repórter viajou ao Mundial a convite da Federação Internacional de Handebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.