Robert Ghement/EFE
Robert Ghement/EFE

Catar exibe arena luxuosa de Handebol como 'ensaio' para 2022

Palco da abertura do Mundial Masculino, a Lusail Multipurpose Hall faz parte do projeto do Catar em sediar eventos esportivos

VÍTOR MARQUES - ENVIADO ESPECIAL A DOHA, O Estado de S. Paulo

15 de janeiro de 2015 | 13h37

Lusail, a cerca de 20 quilômetros de Doha, capital do Catar, é uma cidade que está sendo construída, do zero, em meio ao deserto. Ela ficará pronta para a Copa do Mundo de 2022. Mas, da rodovia, também nova, já se vê uma imponente estrutura feita de vidro com painéis que representam cores da água do mar, da areia e da pérola, símbolos desse país endinheirado graças ao petróleo.

Inaugurada para o Mundial Masculino de Handebol, a Lusail Multipurpose Hall, palco do jogo de abertura da competição, nesta quinta-feira, entre a seleção brasileira e a do Catar, a partir das 15h30 (horário de Brasília), custou cerca de US$ 300 milhões e tem capacidade para 15 mil pessoas.

A arena é moderna e luxuosa. Tem acabamento de mármore e escadas rolantes como um shopping. Há um enorme telão, como os da NBA, erguido na faixa central da quadra. E a arena é farta, principalmente, em camarotes. Um dos três andares do complexo esportivo são para os vips - o Mundial de Handebol tem, entre seus patrocinadores, empresas de petróleo, bancos e de telefonia. Outras duas arenas serão usadas na competição.

De certo modo, a competição da modalidade faz parte do projeto do Catar em sediar eventos esportivos. Doha já sediou competições de alto nível como Mundiais de atletismo, natação e ATPs de tênis. Pela primeira vez, abriga um Mundial de Handebol.

O ponto alto, claro, é a Copa do Mundo de 2022, que, no entanto, tem sido marcada por escândalos de corrupção, como compra de votos, e denúncias de trabalho escravo nas construções de estádios. O projeto Lusail engloba investimentos de US$ 45 bilhões até a Copa de 2022. Lusail será o palco da final. Um estádio para 86 mil pessoas será construído - o Catar promete nove arenas novas para o Mundial.

CLIMA

O Mundial de Handebol, que começa nesta quinta-feira, termina dia 1º de fevereiro. É disputado durante o inverno no Oriente Médio. A temperatura varia entre 13ºC e 25ºC e, portanto, não é um problema para os atletas como será na Copa de 2022, caso ela aconteça mesmo no verão (junho e julho), quando a temperatura média é de 45ºC. A tendência, porém, é de que o torneio ocorra em outro período do ano.

*Repórter enviado a convite da Federação Internacional de Handebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.