CBAt confia em mais um índice olímpico no atletismo

O Brasil espera apenas a realização do Troféu Brasil de Atletismo, a partir desta quarta-feira, no Estádio Ícaro de Castro Melo (Ibirapuera), em São Paulo, e da divulgação da lista oficial de classificados no tênis para definir a sua delegação que vai aos Jogos Olímpicos de Londres.

AE, Agência Estado

25 de junho de 2012 | 14h58

Assim, a única modalidade em que os atletas dependem só de si para carimbarem o passaporte para Londres é o atletismo. E a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) acredita que pelo menos mais um índice virá. E que quem está mais perto disso é Lucimara Silvestre, do heptatlo.

No Campeonato Ibero-Americano da Venezuela, em Barquisimeto, há duas semanas, ela bateu o recorde sul-americano da especialidade, com 6.160 pontos, melhorando a sua marca anterior, de 6.133, obtida nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no ano passado. Assim, está a apenas 33 pontos do índice.

Lucimara, porém, estava gripada quando competiu no Ibero-Americano e por isso a confiança é alta de que o índice venha. "Agora ela está totalmente recuperada e em boa forma. A expectativa é que quebre novamente o recorde sul-americano e consiga o índice até com sobra", comentou o treinador dela, Dino de Aguiar Cintra Filho.

Atualmente a delegação brasileira de atletismo para os Jogos de Londres tem 23 atletas. Quatro, da maratona, estão oficialmente convocados e outros seis estão pré-convocados porque terminaram o ranking mundial de 2011 entre os dez primeiros de suas provas. Além disso, outros 15 conseguiram até agora as marcas mínimas exigidas pela CBAt.

Nas provas de 200m e 800m masculino há um atleta a mais do que o número máximo de brasileiros que podem ir a Londres. O que chegar a domingo com a pior marca estará fora da Olimpíada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.