CBAt confirma critérios para equipe olímpica

Os critérios para a formação da equipe olímpica que representará o Brasil nas competições de atletismo em Atenas, em 2004, foram confirmados neste domingo, no Fórum de Atletismo do Brasil, realizado em São Paulo. Os critérios foram elaborados pelo Conselho Técnico da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). Competem na Grécia os atletas que tiverem os índices A ? marcas mais fortes ?, estabelecidos pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF), entre 1º de janeiro de 2003 e 11 de junho de 2004, e fizerem pelo menos o índice B ? mais fraco ? no ano que vem. O Comitê Olímpico Brasileiro fechará a delegação nacional em maio, mas concordou em esperar pela lista do atletismo.Nas provas com quatro ou mais atletas com índices A, classificam-se os dois primeiros do Troféu Brasil (de 3 a 6 de junho, em São Paulo) e o primeiro do ranking. Nas provas em que nenhum atleta tiver o índice mais forte serão chamados os que obtiverem duas vezes o índice B, no mesmo período. ?O índice A é o importante. O atleta que não tiver marcas nesse patamar não consegue resultado lá fora?, comentou o técnico Luiz Alberto de Oliveira, que fará um treino com meio-fundistas nos Estados Unidos ? Sanderlei Parrela, medalha de prata nos 400 m no Mundial de Sevilha, estará no grupo. Os campings internacionais serão promovidos de acordo com grupos de provas e um específico, para os atletas olímpicos, em Huelva, na Espanha, de 8 a 15 de agosto, antes da chegada a Atenas. No Fórum foi aprovado que os recursos do orçamento da CBAt vindos da Lei Piva (prêmios das loterias) e da Caixa Econômica Federal, que apóia o atletismo, serão reduzidos para o pagamento de salários a atletas de alto nível e jovens talentos, mas aumentados para os programas que abrangem grupos, como os campings e as viagens para competições internacionais. O presidente da CBAt, Roberto Gesta de Melo, confirmou a realização de duas etapas do IAAF Grand Prix no Brasil em maio de 2004: no Rio, no dia 16, e em Belém, no dia 23. Maratona ? Para a maratona e a marcha atlética 50 km, serão convocados os três primeiros do ranking. Os revezamentos serão formados pelos melhores velocistas do País, que tem de estar entre os 16 primeiros no ranking mundial. O bicampeão pan-americano Vanderlei Cordeiro de Lima, da Equipe Pão de Açúcar BM&F de Atletismo, que já tinha índice para ir à Atenas, melhorou sua marca, neste domingo, na Maratona de Fukuoka, Japão. Com o tempo de 2h10min38, Vanderlei terminou em 12º e a melhor marca do ano. O fundista tinha 2h12min16, da quarta colocação da Maratona de Berlim (ALE), em abril. A Maratona de Fukuoka foi vencida pelo japonês Tomoaki Kunichika (2h07min52).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.