CBAt vai manter controle sobre doping

O controle sobre o uso da Eritropoietina (EPO) vai continuar, confirmou, nesta sexta-feira, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). O médico Eduardo De Rose, especialista em antidoping no esporte, fará, inclusive, várias coletas de sangue e urina de surpresa, fora de competição, até o mês de dezembro. Embora os exames antidoping para detectar a EPO tenha custo elevado - US$ 500,00 cada um - a CBAt fará os controles para afastar as denúncias de que a droga está sendo distribuída no mercado brasileiro."É uma seqüência de denúncias. Falam até na existência de um pseudo comerciante da EPO. Mas como tudo fica no campo das insinuações, a atuação ao nosso alcance é o controle", avalia Martinho Nobre dos Santos, secretário da entidade. Na Meia Maratona do Rio foram feitos 15 controles, todos negativos. Mas nos 15 controles seguintes realizados nas 10 Milhas Garoto, em Vitória (ES), surgiu o primeiro caso, do fundista Ramiro Nogueira Filho.A EPO é uma droga sintética (injetável) que estimula a produção dos glóbulos vermelhos, aumentando a oxigenação dos músculos e a resistência física.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.