Satiro Sodré/SS Press
Satiro Sodré/SS Press

CBDA lamenta suposto doping de nadador no Mundial de Doha

Presidente da entidade, Coaracy Nunes, admite que caso de João Gomes Júnior deve provocar impacto sobre a modalidade no Brasil

Estadão Conteúdo

20 de janeiro de 2015 | 11h30

O presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes, lamentou o suposto doping do nadador João Gomes Júnior e admitiu que o caso provocará um forte impacto sobre o esporte, ainda mais que teria sido registrado durante a realização do Mundial de Esportes Aquáticos, disputado em Doha, no Catar, no ano passado.

"O atleta está muito triste, decepcionado, é de grande nível. A CBDA lamenta, é um azar incrível, porque não pensávamos que poderia ocorrer um fato desse tão sério como ocorreu em Doha", disse o dirigente em entrevista ao SporTV. 

De acordo com o SporTV, João Gomes Junior, especialista no nado peito, foi pego em exame antidoping durante a competição - o teste teria flagrado a presença de um diurético, que pode ser usado para mascarar a utilização de uma substância dopante. 

O nadador, de 28 anos, ajudou o Brasil a conquistar três medalhas de ouro no torneio, em que o País foi campeão e fez a melhor campanha da história. João Gomes participou das eliminatórias dos revezamentos - 4 x 50 metros medley masculino, 4 x 100 m medley masculino e 4 x 50 m medley misto - e de duas provas individuais (50 e 100 metros peito), nas quais não chegou ao pódio. 

Os atletas que não disputam as finais também são considerados medalhistas e, por isso, se o nadador foi punido, a seleção brasileira pode perder as medalhas. Assim, o País cairia do primeiro para o quinto lugar na classificação geral. "É um impacto muito grande porque foi a melhor atuação na história da natação brasileira", disse Coaracy. 

A CBDA não confirmou o resultado positivo do atleta. O Pinheiros, clube do nadador, informou por meio de sua assessoria de imprensa não ter sido comunicado do caso de doping. De qualquer forma, Coaracy avisou que o advogado da confederação, Marcelo Franklin, já trabalha na defesa de João Gomes. 

"Já colocamos nosso advogado, Marcelo Franklin, nesse caso e ele vai tomar todas as providências. A CBDA vai fazer todo o esforço para livrar o atleta da suspensão, não tenha dúvida. Mantemos a esperança, houve casos em que os atletas só foram advertidos. Não existe caso de doping na vida dele", afirmou o presidente da CBDA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.