CBDA quer ?explorar? Kaio Marcio

O recorde mundial dos 50 metros borboleta em piscina curta, 22s60, animou o ?good boy? Kaio Márcio de Almeida ? que já está sendo usado pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) como chamariz para impedir o êxodo de atletas do País ? a tentar ser o mais rápido do mundo também nos 200 m borboleta. ?Na forma em que estou hoje daria para nadar bem na piscina longa.Tenho boas chances nos 200 m borboleta que é a minha prova. A tendência é só crescer e melhorar?, disse Kaio Márcio, que detém o terceiro melhor tempo do ano nos 200 m, 1min53s27, contra 1min50s89 do polonês Pawel Korzeniowski, e 1min52s49 do alemão Helge Meeuw.A marca mundial de 22s60 nos 50 m borboleta trouxe motivação extra para Kaio Márcio, que retornará aos treinos no dia 2 de janeiro e já nos dias 17 e 18 estará na Suécia para disputar etapa Estocolmo da Copa do Mundo. ?Agora que tenho o recorde mundial não vou largar fácil?, brincou.E Kaio Márcio já começou a sentir os efeitos do feito em São Paulo.Soube que os Estados Unidos cogitam a possibilidade de mandar sua equipe principal para a disputa dos Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007, por causa ?do crescente desempenho dos nadadores brasileiros. O atleta também passou a ser usado pela CBDA como exemplo de que não é preciso sair do Brasil para buscar melhores resultados e condições de treinamentos.O nadador ratificou a sua permanência no Brasil. Lembrou que desde os 12 anos, quando passou a competir, sempre treinou em João Pessoa, na Paraíba, sua terra natal, ao lado do técnico Léo Arruda. Hoje alterna sua rotina técnica e física entre as capitais paraibana e pernambucana, Recife, por causa do Nikita/Cesi, clube que defende. ?Consigo ficar bem sozinho, sem a companhia de outros atletas. Até tive dificuldade para me adaptar quando fiquei três anos no Flamengo e treinava ao lado de vários?, contou Kaio Márcio. ?Estou tendo apoio, estrutura, então, para quê iria querer sair? Ir para outro país?? O presidente da CBDA, Coaracy Nunes, admitiu o uso de Kaio Márcio como um argumento postivio na tentativa de segurar outros atletas no Brasil.O dirigente disse ter conversado com os pais do velocista César Cielo, e do nadador especialista no estilo costas, Guilherme Guido, ambos de 17 anos, para demovê-los da idéia de levar os filhos para os Estados Unidos.?É muito fácil pegar os atletas brasileiros ficar com eles três, seis meses e falar que fez o nadador. Mentira! Eles chegam lá prontos. E todos que vão acabam tendo prejuízo?, desabafou o presidente da CBDA.?Ainda não tive um caso que fosse contra ao meu argumento. Aliás, tive um só, a exceção, que foi o Ricardo Prado e só.? Ao final, o técnico do nadador destacou que o atleta somente alcançou a histórica marca por ser um exemplo de aplicação, determinação, disciplina e seriedade. ?O Kaio é um good boy em meio a tantos bad boys. Um exemplo de atleta. E o único suplemento vitamínico que toma é vitamina C?, Léo Arruda.

Agencia Estado,

19 de dezembro de 2005 | 19h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.