CBF compra prédio para instalar nova sede e museu

Imóvel, localizado na Barra da Tijuca, custou R$ 70 milhões e mudança está prevista para ocorrer no próximo ano

ALMIR LEITE, MATEUS SILVA ALVES, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2012 | 03h06

A CBF vai mudar de casa em 2013. A entidade acertou a compra de um prédio na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, para onde pretende se transferir em no máximo um ano. O imóvel foi adquirido por R$ 70 milhões. O local também abrigará o museu do futebol brasileiro. A sede atual, num edifício comercial no mesmo bairro, é alugada.

O prédio para onde a CBF vai se mudar é uma construção horizontal e tem o selo verde, emitido pelo Green Building Council (GBC), para empreendimentos que se enquadram nas práticas de sustentabilidade - são erguidos com material de baixo impacto para o meio ambiente e têm uso racional de água e energia, entre outros itens. Mas, para abrigar os vários departamentos da entidade, o museu e ter espaço de livre acesso para o público, precisa de algumas adaptações.

A opção da CBF por comprar um prédio se deu por causa da impossibilidade de fazer a sede num terreno comprado na administração de Ricardo Teixeira, em 2009, na mesma região, por R$ 26 milhões. O solo, de má qualidade, foi considerado impróprio para construção.

Para isso, o atual presidente da confederação, José Maria Marin, criou, em maio, um grupo de trabalho para buscar um imóvel. Encabeçado por Carlos Eugênio Lopes, diretor jurídico da CBF, era composto pelo diretor financeiro Antonio Osorio, e por André Luiz Pitta Pires, presidente da Federação Goiana; Delfim Peixoto, da Federação Catarinense; e José Vanildo da Silva, da Federação Norte-Riograndense. O grupo optou pelo prédio do Centro Comercial Barra Trade V e a CBF já teria pago até a primeira parcela da aquisição.

Mas o CT da seleção brasileira ainda vai demorar. Será construído também em terreno da CBF na Barra, mas não ficará pronto para a Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.