CBF muda planos para socorrer Mano

ENVIADO ESPECIAL / STUTTGART

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2011 | 00h00

Para quem planejava enfrentar a Itália, jogar contra o Gabão não deve ser lá muito atraente. Mas é o que a seleção brasileira fará em novembro. O técnico Mano Menezes e o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, sustentam que o plano de jogar contra times fortes não vai ser alterado. Não é o que indica a agenda da seleção até o fim do ano. A maioria dos próximos amistosos será contra seleções de segundo ou terceiro escalão, a começar pelo Egito, no início de setembro (dia 9), no Cairo.

A mudança dos planos da CBF tem um propósito: o de socorrer Mano, desgastado com a opinião pública em decorrência do fracasso da seleção na Copa América e de insucessos com grandes adversários - desde novembro do ano passado o Brasil perdeu para Argentina, França e Alemanha (anteontem) e empatou com a Holanda. Além de Egito e Gabão, a seleção vai jogar com a Costa Rica, em 7 de outubro. Quatro dias depois, o adversário será o México.

As alterações também têm relação com os compromissos das seleções poderosas, oficiais e amistosos, até o fim do ano. Contra equipes de primeiro nível, só estão confirmadas as partidas contra a Argentina, dia 14 de setembro, no país vizinho, e dia 28, em Belém, no Pará - assim mesmo só com jogadores que atuam nos dois países. Também pode ocorrer uma partida contra a Inglaterra, em novembro, na Suíça. Ou então a seleção jogará contra o time da casa.

Os jogos contra Espanha e Itália, anunciados durante a Copa América para o mês de novembro, não devem ocorrer. A possibilidade de enfrentar os italianos ainda existe, embora o mais provável é que fique para 2012, mas o duelo contra os espanhóis é praticamente impossível.

Independentemente disso, Mano Menezes defende, pelo menos publicamente, o confronto com seleções da elite. "São esses jogos que servem de parâmetro, nos permitem saber em que nível estamos."

Se a mudança na rota dos amistosos é forçada, as alterações no time não. Mano vai fazê-las de maneira "gradativa", mas com certeza haverá algumas novidades para o jogo no Cairo. Nesse amistoso, ele deverá chamar apenas jogadores que atuam no futebol europeu.

Há possibilidade, também, de serem convocados mais jogadores com idade olímpica, pois Mano quer voltar à carga na observação de atletas para formar a equipe que irá a Londres no ano que vem. O treinador, aliás, está indo para a Colômbia - tem previsão de chegada a Pereira na noite de hoje - para acompanhar a equipe sub-20 no Mundial da categoria. / COLABOROU SÍLVIO BARSETTI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.