CBF se escora na seleção para encher os cofres

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) dá de goleada nos clubes a ela filiados quando o assunto é obtenção de patrocínio. Enquanto estes conseguiram R$ 270 milhões em 2009, a entidade sozinha faturou R$ 165 milhões com seus patrocinadores. O fato de ter sob seu comando um dos produtos mais vendáveis do futebol mundial, a seleção brasileira, é decisivo nessa "colheita"".

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2010 | 00h00

A CBF fechou o ano passado c0m nove patrocinadores, algo impensável para os clubes. "A seleção é um porto seguro para as empresas, pois não existe rejeição à equipe brasileira e a audiência nos jogos é muito boa "", diz o consultor Amir Somoggi. "A CBF colhe benefícios claros com isso.""

A entidade navega em águas tranquilas, se comparada com os clubes, e não é de hoje. Em 2003, por exemplo, conseguiu mais dinheiro com patrocínio do que todas as agremiações juntas - R$ 80 milhões, contra R$ 71 milhões.

No ano anterior, a seleção brasileira havia conquistado o pentacampeonato mundial, na Copa disputada na Coreia do Sul e no Japão.

E são valores que crescem rapidamente. O montante obtido pela CBF em 2009 com o item é 57% maior do que no ano anterior (R$ 105 milhões). E representou 71% do total gerado pela entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.