CBH revela doping e Brasil terá desfalque no hipismo

Irmãos Gustavo e Marcelo Pagoto estão suspensos e o cavalo do terceiro reserva passou por cirurgia há 1 mês

AE, Agência Estado

26 de julho de 2012 | 07h08

O Brasil irá competir desfalcado de um conjunto no CCE (Conjunto Completo de Equitação) dos Jogos Olímpicos de Londres. Isso porque a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) não conseguiu substituir o conjunto formado por Renan Guerreiro e seu cavalo Kenny, cortado da Olimpíada por conta de problemas físicos com o animal.

Os dois primeiros reservas, os irmãos Gustavo e Marcelo Pagoto estão suspensos por doping. De acordo com a CBH, os dois foram punidos pela Federação Equestre Internacional (FEI) há quatro dias, mas só na noite de quarta-feira o caso veio à tona. Eles testaram positivo para a substância isometepteno, que a CBH alega ser encontrada em medicamentos para dor de cabeça.

Assim, a vaga poderia cair no colo do terceiro reserva, Jesper Martendal, mas o seu cavalo, Land Jimmy, foi operado de emergência há menos de um mês por conta de uma cólica e também não poderá competir.

A ideia da confederação era chamar às pressas Carlos Paro, o Cacá, que mora na Inglaterra, e tem uma Olimpíada (Sydney) e um Pan (Rio) no currículo. Mas a estratégia foi vetada pelo COI, uma vez que o conjunto não estava inscrito.

Desta forma, o Brasil vai competir em Londres com quatro conjuntos, um a menos que o possível. Só os três melhores resultados contam para a classificação geral por equipes, fazendo com que agora só haja um descarte. Vão participar do CCE, a partir de sábado: Marcio Jorge (montando Josephine), Serguei Fofanoff (Barbara), Ruy Fonseca (Tom Bombadill Too) e Marcelo Tosi (Eleda All Black).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.