CBJ fará seletiva em todas as categorias

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) vai realizar seletivas às cinco vagas conquistadas para os Jogos Olímpicos de Atenas, durante o Mundial da categoria, disputado neste mês, em Osaka, no Japão. A princípio, cogitou-se que o atleta medalhista nos Jogos Pan-Americanos de São Domingos e na competição japonesa assegurariam automaticamente seus lugares, hipótese rechaçada nesta segunda-feira pelo presidente da entidade Paulo Wanderley. De acordo com o presidente da CBJ, somente estaria com vaga garantida o judoca brasileiro que conquistasse a medalha de ouro no Mundial. Como o Brasil obteve três medalhas de bronze, todos os atletas vão ser obrigados a competir. Se o critério anterior persistisse, os meio-pesados Edinanci Silva e Mário Sabino seriam os beneficiados, por terem obtidos medalhas de bronze no Mundial e de ouro no Pan-Americano. Os judocas serão avaliados em uma melhor de três lutas, durante três seletivas. Os confrontos estão programados para os meses de dezembro, fevereiro e março. Todos os atletas participantes da seleção permanente já estão pré-classificados. Seus oponentes vão ser os primeiros de cada categoria do ranking nacional, a ser informado no início de dezembro. Rio de Janeiro, Ipatinga e São Paulo foram as cidades escolhidas como sedes dos confrontos.?Optamos por colocar os atletas lutando por três vezes, em três seletivas, porque ninguém poderá reclamar que não teve chance", explicou o diretor técnico Internacional da CBJ, Ney Wilson Pereira da Silva, durante a cerimônia de agradecimento pelo apoio recebido do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), na sede da entidade, no Centro. ?Desta maneira é melhor, porque tem dias que o atleta não está bem ou pode estar contundido. Assim todos terão oportunidade de recuperação. Durante o Mundial do Japão, a seleção assegurou um total de cinco vagas olímpicas nas categorias meio-pesado, meio-médio, ambas no feminino, e no masculino: meio-pesado, médio e pesado. Para obter vagas nas outras categorias, os judocas brasileiros vão precisar terminar entre os seis melhores do ranking Pan-Americano masculino. Já o feminino só asseguraram vagas as três melhores atletas da classificação continental. O ranking continental é determinado pelos resultados obtidos no Campeonato Pan-Americano de 2003, já realizado em Salvador, os Jogos Pan-Americanos de São Domingos, disputado em agosto, o Torneio Seletivo da Argentina, previsto para novembro, e o Campeonato Pan-Americano de 2004, em Isla Marguerita, na Venezuela. Embalado pelos últimos bons resultados do judô (17 medalhas obtidas no Pan-Americano, em Salvador, dez nos Jogos Pan-Americanos de São Domingos e três de bronze no Campeonato Mundial de Osaka), o presidente da CBJ informou que vai lançar um projeto social para 2004, em parceria com prefeituras de todo Brasil, além de um Grand Prix reunindo oito clubes nacionais (Barueri, São Caetano, São Paulo, Pinheiros, Minas Tênis, Sogipa, Flamengo e Gama Filho). A disputa será entre outubro e a primeira semana de dezembro deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.