Reuters
Reuters

CBRu fará diversas atividades com os All Blacks Maori no Brasil

Confederação Brasileira de Rugby quer aproveitar a presença do time da Nova Zelândia para aproximar atletas dos fãs

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2018 | 17h08

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) quer aproveitar a presença dos All Blacks Maori no País para realizar uma série de atividades antes do jogo entre Brasil e esta seleção da Nova Zelândia, que será disputado dia 10 de novembro, no estádio do Morumbi, em São Paulo. O evento inédito será precedido de uma série de atividades.

"Ter os All Blacks Maori aqui no Brasil é uma oportunidade única de poder conviver com a cultura mais conhecida do mundo no rúgbi e de ver de perto parte do melhor time do mundo. No nosso o planejamento, queremos aproximar os Maoris o máximo possível dos brasileiros e da cultura nacional. Queremos também que eles tenham uma experiência única durante essa semana", explica Agustín Danza, CEO da CBRu.

 

"Com eles no Brasil, queremos fazer o máximo possível para que as pessoas, os fãs e os clubes possam interagir com eles. Por isso que vamos fazer na segunda-feira (5/11) uma coletiva de imprensa e sessão de autógrafos. No dia seguinte vamos ter um treino aberto para todas as pessoas que queiram assistir: crianças, treinadores, jogadores. Eles vão mostrar como treinam antes de uma partida", comenta.

Além dos aspectos esportivos, a ideia da entidade é inserir a seleção, que é uma espécie de segundo time dos All Blacks, na cultura brasileira. Na quarta-feira, metade do grupo vai para o Rio de Janeiro e a outra metade vai conhecer São Paulo. À noite será promovido um jantar em algum restaurante bem tradicional na capital paulista, para que os atletas neozelandeses experimentem um pouco da cultura brasileira e paulista.

"Já na quinta-feira (8/11) vamos ter um treinamento exclusivo para técnicos de clubes, no qual os Maoris vão passar seu conhecimento e responder perguntas sobre como se preparam, estruturam seus jogos e fazem suas atividades. Por fim, na sexta-feira vamos levar os Maoris para conhecer os projetos sociais de rúgbi aqui no Brasil. Eles vão ter contato com as crianças e fazer clínicas. Esperamos que possa ser um dia histórico para esses meninos, daqueles que eles nunca mais esqueçam", afirma Agustín.

 

BRASIL X ALL BLACKS MAORI

A procura por ingressos para a partida de rúgbi entre Brasil e All Blacks Maori está sendo muito alta. As vendas começaram nesta segunda-feira, nesta primeira semana apenas para clientes do Bradesco, parceiro da CBRu, com 30% de desconto, e a partir do dia 27 para o público geral. Os ingressos serão vendidos no site www.allblacksmaorinobrasil.com.br e custarão R$ 40 (arquibancada), R$ 60 (cadeira térrea) e R$ 80 (cadeira superior).

O evento é muito aguardado porque no rúgbi, a Nova Zelândia é a maior potência mundial, sendo campeã da Copa do Mundo em 1987, 2011 e 2015. Esta seleção que vem ao Brasil realiza amistosos pelo mundo utilizando somente atletas de origem Maori e é como se fosse o segundo time da Nova Zelândia, abaixo apenas da seleção principal do país.

Para além do evento esportivo em si, a CBRu pretende usar o amistoso para popularizar ainda mais a modalidade. A partida contra uma potência mundial do rúgbi também será um bom teste para a seleção brasileira, que vem tendo ótimos resultados internacionais nos últimos anos e em 2018 ganhou o Campeonato Sul-Americano, superando inclusive a Argentina, que atuou com sua equipe reserva, mas no papel é considerada muito forte.

 

 
Mais conteúdo sobre:
rúgbi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.